Compartilhamentos

A tromba d’água avistada e fotografada por moradores de Macapá na quarta-feira de Natal é um fenômeno que pode se repetir outras vezes agora com a chegada do período de chuvas, é o que diz setor de meteorologia do Instituto de Estudos e Pesquisas Científicas do Amapá (Iepa). A tromba d’água que ocorreu próximo da orla de Macapá teve a altura calculada em aproximadamente 500 metros.

O fenômeno ocorreu por volta das 13 horas e durou aproximadamente 1 minutos, segundo os pesquisadores do Iepa que foram até a orla da cidade conversar com moradores que testemunharam a ocorrência. A tromba foi registrada de diferentes pontos da capital. “Pelo tamanho, 1 km, acreditamos que foi um F-1”, explica o meteorologista do Iepa Jeferson Vilhena, referindo a uma das categorias classificadas a partir do tamanho e intensidade do fenômeno.

A diferença entre tromba d’água e tornado é basicamente a presença de água no funil. “Quando a água se eleva e a nuvem desce ou sobe é tromba d’água. O tornado ocorre em terra”, ensina o meteorologista.

TROMBA RIO AMAZONAS

Macapá está numa faixa da Amazônia extremamente propícia a esse tipo de ocorrência por ter muitas chuvas provenientes de aglomerados convectivos, ou seja, nuvens de grande extensão vertical, o que os especialistas costumam chamar de “cumulo nimbus”, as nuvens que todo piloto de avião evita enfrentar.

Fenômenos assim são muito comuns no Amapá especialmente na capital. No ano passado o Iepa foi chamado para investigar uma ocorrência no distrito do Igarapé da Fortaleza, bairro que tem influência direta do Rio Amazonas. “Lá as árvores estavam retorcidas para lados diferentes e não obedeciam uma única direção. Naquele caso não se tratou de uma ventania, mas sim de um tornado categoria F-1”, diz Vilhena, acrescentando que existem muitos tornados chamados “F-0”, denominados assim porque desaparecem com muita rapidez e quase não são visualizados.

O maior tornado registrado na capital ocorreu no bairro Marabaixo II, em 2003. Dezenas de casas foram destelhadas e famílias chegaram a ficar desabrigadas. Na tromba d’água de quarta-feira, os Bombeiros não registraram prejuízos materiais. No Brasil não existe tecnologia capaz de prever a aparição de um tornado ou tromba d’água. A mais eficiente do mundo foi desenvolvida nos Estados Unidos e só é capaz de prever o fenômeno 5 minutos antes que ele ocorra.

Compartilhamentos