Compartilhamentos

O PSOL decidiu neste domingo, 1°, que o senador do Amapá Randolfe Rodrigues vai disputar a presidência da República nas eleições do ano que vem. Ele venceu internamente a ex-deputada federal Luciana Genro, filha do governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro.

No início deste ano o senador mais votado do Amapá era considerado potencial candidato ao governo do Estado. Todos davam como certo que ele tentaria a sucessão de Camilo Capiberibe. Mas a dependência do dinheiro do Governo do Estado falou mais alto no fim das contas. E ao se credenciar na semana passada como interessado na vaga de candidato à presidência da República junto a seu partido, o PSOL, Randolfe Rodrigues praticamente deu adeus a essa pretensão, ou como diria José Serra, um “até logo!”

Desde a eleição de Clécio Luis, no ano passado, o PSOL já sabia que teria dificuldades de governar a cidade com a prefeitura afundada em dívidas. Nos primeiros meses foi difícil ter o apoio do governador Camilo Capiberibe para realizar investimentos como asfaltamento, operação tapa-buracos, regularização da coleta do lixo e drenagem dos canais. Só foi possível fazer a maioria dessas tarefas com ajuda financeira do Estado e isso depois de um acordo nos bastidores que selou a parceria.

A dependência dessa parceria é tão grande que só foi possível inaugurar o conjunto Mestre Oscar, na zona norte de Macapá, depois que o governo concordou em ajudar em obras de asfaltamento. “Não dava pra cuidar de duas coisas ao mesmo tempo, a prefeitura e projeto para o governo. A prioridade é a cidade de Macapá. Se eu pensasse só em mim prejudicaria a cidade. Fui pro sacrifício!”, desabafou o senador. “O prefeito Clécio até insistiu que eu deveria manter minha pré-candidatura ao governo”, acrescenta.

Mas outros fatores também pesaram. Seria impossível para o PSOL ter quadros suficientes para ocupar secretarias e departamentos de governo. Não tem técnico suficiente nem para a prefeitura. A prova é que a prefeitura está cada vez mais repleta de funcionários e gestores indicados pelo ex-prefeito de Belém Edmilson Rodrigues.

A disputa interna de Randolfe para ser o candidato do PSOL foi grande. Ele precisou vencer dentro do grupo que domina o partido, corrente a qual pertence Luciana Genro, que tinha o apoio de personalidades do partido como o deputado do Rio de Janeiro Marcelo Freixo. O deputado carioca inspirou o personagem deputado Fraga, na consequência da franquia cinematográfica brasileira Tropa de Elite. Dentro do PSOL, Randolfe é criticado por ter costurado a aliança com o Democratas que ajudou a eleger Clécio Luis no ano passado.

Ao ser anunciado como candidato do partido à sucessão de Dilma Roussef, Randolfe disse que vai se pautar nas mudanças que são necessárias para o Brasil.

Compartilhamentos