Compartilhamentos

Os coros eram “Dora pro Senado!” e “Fora Sarney!”. A empolgação vinha da militância do PT que segue a corrente liderada por Joel Banha e Dora Nascimento, respectivamente marido e mulher, mas também deputado estadual e vice-governadora. Joel e Dora foram o centro das atenções na noite desta segunda-feira, 9, durante o ato de posse dos diretórios municipais e do diretório estadual do PT.

Mesa composta por vários membros do PT.

(Foto: SelesNafes.com)

A eleição foi realizada em novembro. Joel Banha conseguiu vencer o grupo liderado pela deputada federal Dalva Figueiredo, e foi reeleito presidente estadual do partido. Nesta segunda, além da posse dos novos dirigentes, o partido lançou uma resolução na qual anuncia que a prioridade do PT no ano que vem é a eleição de Dora Nascimento para o Senado. “Chega de sermos acusados de pensar pequeno”, disparou ela durante discurso bastante aplaudido.

 

Militância do PT assiste empolgada os discursos.

Militância do PT assiste empolgada os discursos. (Foto: SelesNafes.com)

Esse posicionamento do diretório estadual, mesmo antes de qualquer prévia, cria um constrangimento entre o PT nacional e o PMDB, já que a tendência é a presidente Dilma Roussef articular apoio para o projeto de reeleição de José Sarney (PMDB-AP) no Senado. Pelo menos por enquanto, o PT ignora esse cenário lançando o nome de Dora. “É uma construção e o PT tem autonomia pra isso. O PT e o PMDB já conversaram em nível nacional e o Amapá não foi colocado na mesa de negociação. Portanto não podemos ficar parados”, justificou Joel Banha.

O PT quer ampliar sua representação na bancada federal, que hoje no Amapá tem apenas Dalva Figueiredo, e sabe que para isso o Senado é importante. Só que ao mesmo tempo, a legenda não abre mão de ser novamente vice no governo do Estado. “O PT vem lançando novos quadros e a Dora vem sendo bem posicionada nas pesquisas que temos feito. Não podemos perder essa oportunidade”, avaliou o presidente do PT.

Durante o ato de posse dos dirigentes, os petistas deixaram claro que pretendem lutar pela reeleição de todos que possuem mandatos, inclusive de quem não apoiou a reeleição de Joel Banha, como é o caso de Dalva Figueiredo.

 

Mais espaço no governo

O PT pretende conseguir mais espaços dentro do governo do PSB. No primeiro escalão, o partido tem apenas as secretarias de Turismo e Segurança Pública. A participação tem diminuído. Uma das principais, a de Infraestrutura, foi retomada este ano pelo PSB. Os vários grupos que compõe a legenda sempre negociavam isoladamente com o governo, e isso acabou enfraquecendo o partido dentro do próprio governo.

Outra situação que os petistas pretendem mudar é o espaço nos órgãos federais no Amapá. Hoje a legenda perde até para o Democratas e o próprio PSDB.

Compartilhamentos