Compartilhamentos

O ano de 2013 ainda não terminou, mas a estatística parcial das mortes no trânsito no estado do Amapá já assusta. De janeiro até novembro deste ano 103 pessoas morreram em consequência de trânsito. O maior número foi na capital, Macapá onde até o momento foram registrados 34 mortos. Os dados são do Batalhão de Policiamento de Trânsito (BPtran) que diz estar intensificando a fiscalização.

A ingestão de bebidas alcoólicas e a falta de habilitação por parte dos condutores são apontadas como as imprudências que mais geram os acidentes. “Quem nunca recebeu aulas teóricas e práticas, não tem noções a respeito das sinalizações e a condução de um veículo, colocando em risco a própria vida e de outros condutores e pedestres”, pondera o comandante do BPtran, coronel Gezimar Barroso.

Os acidentes envolvendo motocicletas ainda são os maiores. Ao todo, 38 motos e 34 carros se envolveram em acidentes até o mês de novembro. “A implantação da Lei Seca, vem sensibilizando os nossos condutores. Durante as nossas abordagens, fazemos orientações também. Muitos ao ingerirem bebidas alcoólicas passam o volante às esposas, namoradas ou até mesmo a um amigo que não bebe”, informou Barroso.

As blitz não são divulgadas com antecedência. E estão sendo realizadas em ruas, avenidas e rodovias estratégicas, em horários de fluxo alto de veículos, no intuito de não permitir que o condutor desvie o caminho, obrigando os policiais a uma possível perseguição. Cada operação conta com o trabalho de 50 servidores

Compartilhamentos