Compartilhamentos

Durante toda a segunda-feira, 16, os advogados do Amapá votaram para escolher doze nomes na primeira etapa do pleito do quinto constitucional, a cadeira destinada a Ordem dos Advogados do Brasil no Tribunal de Justiça do Amapá (Tjap). Resumindo, o cargo de desembargador. A votação foi tranquila, até que um dos candidatos roubou a cena.

A movimentação foi intensa nos últimos minutos de votação

A movimentação foi intensa nos últimos minutos de votação (Foto: SelesNafes.com)

Para ter direito ao voto, os advogados deveriam estar com a anuidade quitada, requisito que diminuiu o número de votantes de 1800 para 1063. Desses, 70% compareceram às cabines de votação. “O processo aconteceu normalmente, sem dificuldades ou contratempos, e acreditamos que ele foi realizado a contento para o exercício da cadeira no Tjap. Agora vamos para a segunda fase que destinará os seis nomes que prosseguem para a próxima fase”, avaliou o presidente da OAB, Paulo Campelo.

Lista de Candidatos (Foto SelesNafes.com)

Lista de Candidatos (Foto SelesNafes.com)

Ao todo, 23 advogados se candidataram a primeira fase do processo de escolha. Doze foram selecionados para participar da segunda fase, chamada de “sessão de arguição” que acontece nesta terça-feira, 17. Nessa fase os candidatos passam por uma sabatina com os 30 conselheiros da OAB, que depois indicam seis nomes cada; os seis mais votados forma a lista sêxtupla que será encaminhada ao Tjap. “Já na terceira etapa, que deve ocorrer na quinta-feira, os seis candidatos passam por mais uma sabatina com os desembargadores do Tjap, que deverão escolher três nomes” acrescentou Paulo Campelo.

A lista tríplice escolhida é enviada ao Palácio do Setentrião, onde o Governador Camilo Capiberibe deve escolher um dos três nomes para tomar posse como novo desembargador, no lugar do desembargador Ednardo Souza, que se aposentou no ano passado.

Corpo a Corpo

O saguão da sede da OAB/AP ficou pequeno para tantos pedidos de votos. Rapidamente os advogados que chegavam para votar eram cercados por candidatos e cabos eleitorais que entregavam panfletos e pleiteavam mais um voto. Até quem não era advogado era parado e recebia vários panfletos dos inúmeros nomes e números.

Mesmo com fortes câimbras candidato arrumou um jeitinho de pedir mais um voto

Mesmo com fortes câimbras candidato arrumou um jeitinho de pedir mais um voto (Foto: SelesNafes.com)

Um dos candidatos roubou a cena. Jâmison Monteiro gritava o nome de cada novo colega que aparecia no local de votação pedindo mais um voto. Depois de horas nessa maratona o advogado-candidato a desembargador caiu no chão sentindo fortes câimbras. Enquanto era atendido por colegas, mesmo deitado no chão, ele continuavam entregando panfletos com o número dele. Teve boa votação, mas não está entre os favoritos.

Compartilhamentos