Compartilhamentos

Dados da Delegacia Especializada em Investigação de atos Infracionais (DEIAI) revelam a queda pelo terceiro ano consecutivo de ocorrências por lesão corporal contra menores de idade no Amapá. A polícia, a diminuição deve-se à conscientização popular, mas os números ainda são grandes e exigem atenção.

No ano de 2011 a Polícia Civil registrou 1.971 casos de lesão física em crianças e adolescentes. Em 2012 ficaram 1.523 ocorrências e no ano passado em 1.462 casos.

Delegado Plínio Ruriz

Segundo o delegado Plínio Roriz, há muitos casos em que menores são linchados após roubos. 

Os motivos são diversos. “As ocorrências são principalmente de linchamento após roubo de menores, brigas de crianças na escola e no ambiente familiar. Por ultimo tem lesões provocadas pelos pais”, explica o delegado da Deiai Plínio Roriz.

Segundo a Deiai, 40% das ocorrências feitas na delegacia são de lesão corporal entre jovens e crianças. “Rixa entre alunos, brigas por causa de namorados, crianças que brincam juntas e começam a brigar”, completa o delegado.

Ivanaldo Pinheiro teve o filho agredido por outro colega dentro da escola

Ivanaldo Pinheiro teve o filho agredido por outro colega dentro da escola

O filho de 14 anos do cabeleireiro Ivanaldo Pinheiro foi agredido dentro da sala de aula. “Ele estava sentado e o colega jogou uma cadeira nas pernas dele porque meu filho falava com a namorada dele”, afirma o pai.

Casos como esse são bastante comuns na delegacia. De acordo com o delegado, a cada 10 casos de lesão corporal, sete envolvem adolescentes e namoradas.

Mesmo com a diminuição de casos o delegado diz que os números são preocupantes. “Muitos adolescentes quando denunciam sofrem ameaças, as ocorrências diminuíram, mas a lesão está cada vez mais grave”, esclarece.

 

Compartilhamentos