Compartilhamentos

Na manhã desta segunda-feira, 10, mais de 200 pais e responsáveis madrugaram em frente à Escola Municipal de Ensino Fundamental Professora Guita, localizada na Leopoldo Machado, bem ao lado do Estádio Glicério Marques. Mas para a surpresa de muitos, a maioria já estava com pré-matrículas em escolas distantes de seus bairros.

Mais de 200 pessoas amanheceram na Escola Professora Guita, e a maioria não pôde matricular os filhos onde queria

Mais de 200 pessoas amanheceram na Escola Professora Guita, e a maioria não pôde matricular os filhos onde queria

O processo de matrícula ocorre em duas etapas: a primeira com cadastramento pela internet e comprovação dos documentos, e a segunda com transferência dos alunos para outras instituições. “Os pais que fizeram a pré-matrícula pela internet hoje vem só confirmar a documentação. Já aqueles que pretendem matricular os filhos em séries a partir do 2ª a pré-matrícula é aqui. Depois serão encaminhados para efetuar a matricula nas respectivas escolas”, explicou a coordenadora de matrículas da Zona Sul, Débora Vale.

Pais reclamando das escolas escolhidas para os filhos.

Pais reclamando das escolas escolhidas para os filhos.

O período de pré-matrícula pela internet ocorreu em janeiro. Cada pai escolhia cinco escolas para matricular seu filho para que depois a prefeitura escolha em qual a criança vai estudar em 2014. Contudo, muitos reclamaram das escolas escolhidas, a maioria distantes de seus bairroa. “Eu escolhi a escola Coelho Neto, mas mandaram meu filho para o Ruth Bezerra. Quero saber quem vai custear o transporte que ele vai precisar?”, questiona Eduardo Lopes, um dos muitos pais decepcionados com a escolha das escolas.

A Secretaria Municipal de Educação disponibilizou cerca de 6 mil novas vagas, mas o diretor da escola Professora Guita, Marcos Roberto Viera, conta que a demanda com certeza ultrapassa o número de vagas. “Só inscritos pelo site foram mais de 7 mil, e é bom ressaltar que esse número é de toda cidade. Pedimos aos pais que nos procurem o mais rápido possível”, aconselhou.

A dona de casa Josilene Perreira afirma que se mandarem seus filhos para escolas longe de casa vai entrar na justiça. “Porque essa pré-matrícula presencial? Porque não fizeram o mesmo com o pessoal do ensino infantil? Eu consegui uma vaga e quero que meus filhos estudem perto de casa, se não eu entro na justiça, não vou aceitar mesmo”, antecipou.

 

Compartilhamentos