Compartilhamentos

A festa de inauguração do Estádio Zerão, no sábado, 15, serviu para revelar alguns problemas típicos de inaugurações feitas às pressas. Problemas que a empresa que trabalhou na reconstrução do estádio deveria ter observado. Um exemplo foram as goteiras que apareceram com as fortes chuvas que caíram na tarde da inauguração. Além disso, restos de material de construção escondidos atrás de paredes de compensado.

Lixo da obra do estadio, ficou ali ao canto escondido

Cerca de 10 mil torcedores compareceram ao Zerão para participar da festa de reabertura do principal estádio de Macapá. A obra estava parada há quase 10 anos e a data de reinauguração foi marcada e remarcada várias vezes. O estádio, enfim, ficou pronto, mas nem tudo foi concluído como deveria. Durante a chuva grandes poças d´água se formaram perto das cabines de imprensa e bem ao lado da arquibancada havia montes de lixo.

DSC_1328

Outro ponto polêmico, é que alguns torcedores acharam um absurdo terem sido cobrados ingressos. “Eu fico orgulhosa, como amapaense, de ter um estádio nosso. Mas fico triste de ver que muitos torcedores estão na chuva, enquanto sobram espaços nas arquibancadas”, declara a funcionária pública, Neves Cambraia. “Como era uma festa, todos deveriam ter acesso às arquibancadas”, enfatiza.

Neves Cambraia

Neves Cambraia

Enquanto uns foram ao estádio para prestigiar a inauguração. Teve gente que viu no evento a oportunidade de levantar um dinheirinho. “Estou desempregado e quando ouvi que a inauguração seria hoje, vim aproveitar para juntar latinhas e dar uma melhorada na renda”, afirmou seu José Lopes da Silva.

José Lopes da Silva

José Lopes da Silva

Compartilhamentos