Compartilhamentos

O Parque do Forte, apelidado de “Lugar Bonito” (por causa de uma campanha publicitária), hoje está mais para “Lugar Perigoso”. Apesar dos apelos e da iniciativa da PM se colocar mais policiais no entorno, ainda existem muitos assaltos no local. A Guarda Municipal de Macapá e a Policia Militar registraram mais de 30 ocorrências em janeiro.

O técnico em informática Roberto Oliveira leva a filha apenas à tarde. À noite nunca.

O técnico em informática Roberto Oliveira leva a filha apenas à tarde. À noite nunca.

Num dos pontos turísticos mais visitados do estado, as mulheres são as maiores vítimas. Dos 30 casos registrados, 24 envolveram mulheres. Os alvos dos bandidos são celulares, joias e bolsas. “A gente orienta as pessoas a andarem acompanhadas ou em grupo, não ficar exibindo o celular, e usar a bolsa sempre na frente do corpo. Já evitamos assaltos prendendo suspeitos, mas recomendamos atenção dos frequentadores”, aconselha o inspetor da Guarda Municipal do Parque, Denilson Nascimento.

Grupo da Guarda responsável pelo policiamento na Fortaleza.

Grupo da Guarda responsável pelo policiamento na Fortaleza.

 

A Guarda faz ronda no Lugar Bonito de 15 horas às 21 horas, com apenas 12 homens. Já a Polícia Militar circula com uma viatura das 17 às 23 horas. Muitos visitantes preferem ir à tarde para não correr tantos riscos. “Quase todo fim de semana eu trago minha filha para brincar. Prefiro vir à tarde porque é melhor, mas considero aqui um local muito perigoso. Outro dia presenciei um assalto. Dois caras de bicicleta puxaram a bolsa de uma mulher e fugiram. Parei de vir aqui por um tempo e agora que voltei”, comenta a dona de casa, Ana Raquel Pereira.

Ambulante Roberto Oliveira

Ambulante Roberto Oliveira

 

O técnico de informática Raimundo Almeida considera o lugar perigoso, mas como não há muitas opções de passeio. Por isso prefere levar a filha para brincar no período da tarde. “Eu sempre venho com ela à tarde. Eu sei que é perigoso, mas não temos muitas opções de lazer na cidade”.

Segundo o tenente Arilson Nascimento, do 6º Batalhão da Polícia Militar e oficial responsável pelo policiamento no entorno da Fortaleza, a polícia poderia trabalhar melhor se o lugar fosse devidamente iluminado. Em nota, a Companhia de Energia do Amapá (CEA), informou que notificará a empresa responsável pela recuperação do lugar e que é contratada pelo Governo do Estado.

A turma da ginástica também aproveita a tarde

A turma da ginástica também aproveita a tarde

O ambulante Roberto Oliveira, que trabalha há cinco anos no Parque do Forte, conta que já presenciou muitos assaltos no local. “Já vi de tudo aqui. Quando tem festa aqui na praça há muitos assaltos, gente com faca e até arma de fogo. Eu trabalho porque necessito, mas está muito perigoso aqui”, declara. O professor de Educação Física Gean Lopes, também concorda com o ambulante. “Está muito perigoso aqui, o pessoal que eu treino sempre está em grupo e evita trazer bolsa por orientação nossa”,

 

Compartilhamentos