Compartilhamentos

Um incidente no mínimo curioso agora engrossa o lado absurdo das crônicas policiais do Amapá. Aconteceu no Ciosp do Pacoval. O delegado Glemerson Arandes, titular da Delegacia de Crimes Contra o Patrimônio (DCCP), intimou um suspeito de roubar uma moto de dentro do próprio Ciosp. Obediente, ele compareceu para prestar depoimento (na cara dura) usando o mesmo veículo, para logo em seguida fugir roubando a moto pela segunda vez.

A mesma moto roubada duas vezes

A mesma moto roubada duas vezes

Felipe Pereira Soares, o Belisca, já tinha sido reconhecido por testemunhas do roubo da moto no dia 15 de fevereiro. O veículo foi levado do proprietário durante assalto em frente a um salão de beleza.

Na quarta-feira, 26, quando chegou à DCCP no Ciosp do Pacoval para prestar depoimento, Belisca teve logo a moto apreendida. Ele prestou depoimento e negou participação no roubo. Enquanto aguardava o irmão (menor de idade) também dar sua versão do que havia acontecido, o assaltante aproveitou o descuido dos agentes, foi em casa e pegou a chave reserva do veículo, fugindo de novo com a mesma moto, desta vez de dentro do Ciosp.

A ousadia do bandido surpreendeu até a polícia. “O bandido hoje não respeita mais ninguém. Quando ele chegou aqui o questionamos sobre a documentação da moto que foi apreendida. Em um minuto ele fugiu, e ainda voltou para buscar a moto”, frisou ainda abismado o delegado.

Até o delegado Glemerson Arandes ficou impressionado com a cara de pau do assaltante

Até o delegado Glemerson Arandes ficou impressionado com a cara de pau do assaltante

Felipe, ou Belisca, apesar da ousadia, não demonstrou muita inteligência. Acabou voltando para casa onde foi preso. Ele já tinha sido detido em julho por roubo de uma moto e enquadrado também por tráfico de drogas. Belisca também é suspeito de outro roubo de outra motocicleta em novembro. Agora vai dar um tempo dos roubos no Iapen.

 

Compartilhamentos