Compartilhamentos

O Hospital de Emergência é o termômetro da violência em Macapá. Para conseguir atender a demanda neste carnaval, a direção do HE preparou um esquema especial com funcionários extras. Como previsto, o movimento foi grande desde sexta-feira até domingo.

De acordo com os registros do hospital, de sexta-feira até domingo foram atendidas 113 pessoas vítimas de violência. Foram 28 pessoas feridas com arma branca, 18 vítimas de tiro, 36 foram de acidentes no trânsito e outras 18 de agressão física. Mesmo com números expressivos, a direção do HE comemora que os registros foram menores se comparados com o mesmo período do ano passado. “Por incrível que pareça, esses números são menores que nos anos anteriores. Esperamos um movimento maior amanhã (terça) quando um número maior de pessoas sai às ruas, bebem e consequentemente causam acidentes e brigas”, afirma o diretor do hospital, Regiclaudo Silva.

Regiclaudo Silva

Regiclaudo Silva – diretor do Hospital de Emergências

Na madrugada de sábado, o filho de seu Antônio Luiz colidiu com um carro que vinha de uma festa e o motorista estava embriagado. O rapaz de 17 anos está internado no HE com diversas fraturas, mas não corre risco de morte.

Dados da Polícia Civil também revelam uma diminuição de 50% nos acidentes de trânsito comparando com o mesmo período do ano passado. De sexta-feira até domingo, 38 motoristas foram autuados por dirigir sob influência de álcool, sendo que seis deles foram flagrados bêbados. Os dados revelam ainda que 18 acidentes envolvendo carro e motos foram registrados.

1

No mesmo período de 2013, havia na Delegacia Especializada em Acidentes de Trânsito (Deatran) 30 registros de acidentes. “Essa redução tem como causa principal a intensa fiscalização feita pela Polícia Rodoviária Federal, Ctmac, Detran, Bptran e Guarda Municipal. É claro que esse trabalho é intenso por causa da Lei seca. Mas é bom ressaltar que esses números podem mudar, já que o carnaval ainda continua até quarta-feira”, declara a delegada do Deatran, Sheila Vasques.

Delegada Sheila Vasques

Delegada do Deatran, Sheila Vasques

Mesmo com a violência apresentando números mais baixos que nos anos anteriores, tanto a polícia quanto o Hospital de Emergência já têm planos de ação para a demanda que costuma ser maior na terça-feira de carnaval. “Na terça se espera um corre-corre maior por causa da Banda e dos desfiles de blocos e micaretas que acontecem nos bairros. A partir de meia-noite de terça-feira até as sete horas da quarta-feira, a equipe médica e de enfermagem atenderá com número redobrado”, afiança o diretor do HE.

A Polícia Civil avisa que a operação Lei Seca e Anjo estão acontecendo normalmente e que quem for pego dirigindo sob efeito de álcool será autuado. E quem estiver embriagado ao volante, excedendo o limite da Lei Seca, poderá ser preso e pagar a multa, que pode chegar a quase 2 mil reais.

Compartilhamentos