Compartilhamentos

A dona de um hotel em Oiapoque (a 590 quilômetros de Macapá) foi presa na manhã desta quinta-feira, 13, pela Polícia Civil, acusada de exploração sexual. Funcionárias denunciaram que eram oferecidas pela empresa como garotas de programas a hóspedes franceses.

O hotel Chez Denise fica no centro do município de Oiapoque. A proprietária é Eldenize Nascimento Lima Mathurin. A gerente do estabelecimento, Ângela Maria Correia Dias, também foi presa por ordem da Justiça.

Interior de um dos quartos do hotel em um anúncio na internet. Funcionárias seriam forçadas a se prostituir

Interior de um dos quartos do hotel Chez Denise em um anúncio na internet. Funcionárias seriam forçadas a se prostituir

Segundo a Secretaria de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), três ex-funcionárias do hotel levaram o caso até as autoridades. Elas estavam sendo forçadas pela empresária a manter relações sexuais com hóspedes de nacionalidade francesa. As trabalhadoras teriam se recusado e foram demitidas.

O inquérito está sob responsabilidade do delegado Charles Correa. De acordo com ele, Eldenize é casada com um cidadão francês que traria homens para se hospedagem no hotel. “No hotel Chez Denise detectamos que as acusadas aliciavam mulheres para a prática de exploração sexual usando garotas de programas da cidade e em alguns casos as funcionárias alegando que havia um tal gringo interessado nelas e que receberiam pelo programa”, revelou o delegado.

O delegado pediu a prisão com base nos depoimentos das ex-funcionárias e testemunhas. A empresária e a gerente estão sob custódia no Centro Integrado de Operações em Segurança Pùblica (Ciosp). O caso foi informado à Secretaria Nacional de Direitos Humanos da Presidência da República e Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Exploração Sexual de Mulheres e Prostituição Infantil, no Congresso Nacional.

 Outro caso

Um outro caso parecido está sendo investigado também em Oiapoque. Em março, a polícia abriu inquérito para investigar a dona de uma boate. A suspeita é Brenda Cristiane Costa de Oliveira, de 33 anos, a “Sabrina”.

Ele é acusada de aliciar e viciar em drogas meninas com idades entre 14 e 16 anos. Com a dependência química, era mais fácil fazer as meninas aceitarem os programas sexuais.

 

Compartilhamentos