Compartilhamentos

O comando do Batalhão de Operações Especiais, o Bope, divulgou nota afirmando que Jairo Costa Braga, de 28 anos, morto numa operação no bairro Cidade Nova na tarde desta quinta-feira, 03, tentou sacar uma pistola Ponto 40 contra a guarnição e por isso foi alvejado. O caso ocorreu por volta de 12h30 (leia no site: “Suspeito morre em operação do Bope. Família fala em execução”). Jairo, também conhecido pela polícia como “Jeco”, também seria suspeito de ter participado do assalto a uma chácara na comunidade rural de Casa Grande durante a madrugada.

Segundo o Bope, o Grupo de Intervenção Rápida Ostensiva (Giro), que faz parte do Batalhão, teria recebido denúncias de moradores do Cidade Nova de que Jairo aterrorizava os moradores com ameaças e disparos de arma de fogo, além de praticar tráfico de drogas e assaltos. Ele já teria um mando de prisão.

Ainda de acordo com a versão oficial, os policiais foram avisados por denúncias de moradores que Jairo estava dirigindo um Corsa vermelho no bairro. Depois de algumas diligências, o veículo foi avistado na frente no endereço que também tinha sido informado por populares. “No momento da abordagem foi dada ordem ao infrator para que colocasse as mãos na cabeça e o mesmo sacou uma arma de fogo e tentou investir contra os policiais. Em resposta à tentativa de agressão os policiais dispararam contra o infrator antes do mesmo disparar contra os policiais”, diz a nota do Bope.

Carro usado por Jairo Braga, morto pelo Bope

Carro usado por Jairo Braga, morto pelo Bope

O Bope afirmou ainda que recebeu informações de populares que Jairo estava envolvido no assalto a uma chácara da comunidade de Casa Grande, de onde bandidos levaram dinheiro, joias e uma moto. Durante a operação que resultou na morte de Jairo, os policiais disseram ter apreendido uma pistola Ponto 40 de uso exclusivo das Forças Armadas. A foto da arma, porém, não foi divulgada pela nota do batalhão.

 

Compartilhamentos