Compartilhamentos

A Polícia Militar diz que foi recebida a pedradas na manifestação que moradores organizaram na Avenida 13 de Setembro durante a noite de quinta-feira e madrugada desta sexta, 25. Seis pessoas foram presas e houve denúncias de excesso por parte dos policiais.

Os moradores começaram a protestar na quinta-feira, 24, contra a buraqueira do trecho da avenida entre as ruas Professores Tostes com Manoel Eudóxio, no Buritizal. As famílias bloquearam a passagem de veículos utilizando entulhos e até vasos de plantas. Ainda pela manhã máquinas da prefeitura retiraram todos os obstáculos.

Sangue na sala. Moradores denunciaram excesos

Sangue na sala. Moradores denunciaram excessos

Na quinta-feira à noite os moradores voltaram a bloquear a avenida usando os mesmos recursos. A Polícia Militar foi chamada e 4 viaturas da Rádio Patrulha atenderam a ocorrência. “A primeira viatura foi recebida com pedradas, e foi necessário reforço”, disse o capitão Pedro Davi, do Departamento de Comunicação da PM.

Grade arrombada

Grade arrombada

Houve corre-corre e tiros para o alto. Uma residência chegou a ser invadida, porque os policiais alegavam que um dos moradores seria responsável pelas pedradas na viatura da PM. Fotos tiradas por moradores mostram sangue em vários cômodos da casa, e que o portão da residência foi arrombado pelos PM. “A perseguição para a captura é legítima”, argumentou Davi. “Houve excesso sim. Foram entrando nas casas mesmo com a gente pedindo pra conversar”, disse uma moradora.

Parabrisa de viatura da PM quebrada

Parabrisa de viatura da PM quebrada

Seis moradores foram levados para o Ciosp do Pacoval onde prestaram depoimento e foram liberados. Até o início da tarde nenhum morador tinha registrado queixa na Corregedoria da PM. A prefeitura fez uma operação tapa-buracos pela manhã.

Tudo que os moradores não queriam: serviço de tapa-buracos

Tudo que os moradores não queriam: serviço de tapa-buracos pela manhã

 

Compartilhamentos