Compartilhamentos

A Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Cultural e Público, deu entrada nesta quarta-feira, 2, em mais 19 ações de improbidade administrativa por enriquecimento ilícito contra 23 deputados estaduais. Essas ações complementam outras quatro, propostas em abril de 2012, contra os deputados Moisés Souza, Edinho Duarte, Junior Favacho e Michel JK.

As ações questionam os valores das diárias que eram de R$ 2.605,46 para viagens intermunicipais, R$ 3.607,56 para viagens interestaduais e R$ 4.409,24 nas viagens internacionais, entre 2011 e 2012. Depois do ingresso das primeiras ações, em abril de 2012, esses valores foram reduzidos para R$ 1.703,57 para as viagens intermunicipais, R$ 2.405,04 nas viagens interestaduais, ficando inalterado o valor para viagens internacionais.

O Ministério Público entende que está havendo enriquecimento ilícito dos deputados, mesmo depois da redução dos valores das diárias, que ainda estão fora da realidade do serviço público brasileiro. Isso, segundo o MP, só confirma que os valores estão superfaturados.

Apenas o deputado Antonio Furlan (PTB) não foi denunciado. De acordo com a denúncia do MP, o deputado que mais recebeu diárias foi Eider, foram R$ 300 mil em apenas 10 meses. A que menos gastou foi Marília Góes (PDT), cerca de R$ 65 mil. 

Compartilhamentos