Compartilhamentos

Morreu na manhã desta quarta-feira, 16, Iranildo do Carmo de Sousa, de 38 anos, mais uma vítima da explosão que causou a destruição de sete embarcações no porto do Perpétuo Socorro, Zona Leste de Macapá, na última sexta-feira, 11. Iranildo teve 70% do corpo queimado. Ele é a segunda pessoa que morre vítima do incêndio. Na segunda-feira, 14, Andreci João da Costa Rodrigues, de 27 anos, também faleceu no Hospital de Emergência.

O caso foi parar na Polícia Civil que abriu inquérito para investigar as causas do acidente. Serão colhidos depoimentos de pessoas que estavam no local no momento da explosão. Duas pessoas ainda estão internadas no setor de queimados do Hospital de Emergência, e uma está desaparecida.

Segundo a Polícia Civil, até os familiares das vítimas serão chamados para depor a partir da próxima semana. As vítimas que estão internadas também serão ouvidas sobre o que aconteceu na sexta-feira antes da explosão. Para agregar informações à investigação, a polícia também vai usar os laudos da Polícia Técnico Cientifica (Politec) e da Capitania dos Portos sobre os indícios encontrados nos barcos atingidos pelo fogo.

Outra peça que entrará no inquérito é o pedaço de um corpo encontrado no porão de um dos barcos que pegou fogo. Para as testemunhas, os ossos foram encontrados no mesmo local onde estava José Elielson Chaves, de 25 anos, que era tripulante na embarcação e ainda está desaparecido.

O Caso:

De acordo com as investigações preliminares a embarcação “José Felipe” explodiu após um dos seus tripulantes tentar uma transferência de carga de uma bateria para outra, prática conhecida como “chupeta”. A ação ocasionou uma faísca, que em contato com 14 mil litros de combustível armazenado clandestinamente ocasionou uma explosão.

Mais seis embarcações foram atingidas pelas chamas deixando cinco vítimas. Gonzaga Amaral, de 24 anos e Sanção Leal da Silva, de 24 anos, continuam internados em estado grave no Hospital de Emergência.

Compartilhamentos