Compartilhamentos

A Polícia Civil de Porto Grande (cidade a 105 quilômetros de Macapá) ainda não tem pistas dos responsáveis pelo roubo de uma grande quantidade de dinamite e outros materiais usados em detonações de uma empresa que explora seixo na região. Uma fonte não oficial revelou que desapareceram pelo menos 28 bananas de dinamite.

O roubo ocorreu na madrugada do último dia 24 pela empresa Gramamapá, que extrai seixo para a construção civil e costuma utilizar dinamite com autorização do Exército. O produto estava guardado no paiol da mineradora que foi arrombado.

O caso está sendo investigado pelo delegado Júlio César Darques, com apoio de agentes do Núcleo de Operações e Inteligência (NOI) e da Delegacia de Crimes Contra o Patrimônio (Deccp). A polícia já sabe que quem roubou o material sabe como utilizá-lo.

Além da dinamite, foram levados 54 espoletas de retardo, 18 peças de mantopins (dispositivo formado espoletas e estopins), além de duas caixas de cordel detonante. A polícia suspeita que o explosivo pode ser usado por criminosos em alguma operação de roubo

 

Compartilhamentos