Compartilhamentos

Um comerciante acusado de comprar celulares roubados foi preso nesta segunda-feira, 28, por ordem da Justiça. Ele é dono de uma loja de assistência técnica de aparelhos localizada no Mercado Central. Macapá vive uma onda de roubos de celulares, especialmente os cobiçados smartphones.

Os mandados de prisão e busca e apreensão foram cumpridos por agentes da Delegacia de Crimes Contra o Patrimônio (Deccp). A equipe encontrou no local dezenas de smartphones, tablets e um notebook, todos suspeitos de terem sido roubados.

Objetos suspeitos de serem roubados, Segundo a polícia, comerciante já era conhecido por comprar mercadorias roubadas.

Objetos suspeitos de serem roubados, Segundo a polícia, comerciante já era conhecido por comprar mercadorias roubadas. Foto acima do delegado Paulo Reyner. Foto: Sejusp

O delegado Paulo Reyner, que investiga o caso, disse que o dono da loja, Ocilei Cardoso Monteiro, já tinha um indiciamento anterior também por adquirir objetos roubados ou furtados, principalmente celulares. “Ele estava sendo investigado pela prática de envolvimento com crimes de receptação, ou seja, comprar e vender material de procedência duvidosa, uma vez que já era reincidente nesta modalidade criminosa a justiça decretou a prisão preventiva do mesmo”.

O acusado foi indiciado por receptação qualificada, com base no artigo 180 parágrafo 1º do Código Penal e poderá ser condenado a cumprir pena que vai de 3 a 8 anos de reclusão.

Em seu depoimento, Ocilei Cardoso defendeu-se dizendo que os objetos são de clientes, mas não soube informar os nomes deles. O comerciante também não apresentou nenhuma nota fiscal.

Nos últimos meses, a Polícia Civil tem registrado uma grande quantidade de queixas de roubos de aparelhos celulares. As vitimas são estudantes e trabalhadores assaltos nas ruas, e nem as farmácias tem escapado. Quem compra objeto roubado responde por “receptação dolosa”, crime que tem penas de 1 a 4 anos.

 

Compartilhamentos