Compartilhamentos

Os atoleiros na BR-156, principalmente no trecho que vai da localidade de Cassiporé até Oiapoque (590 quilômetros de Macapá), levaram a empresa de ônibus Viação Santanense a suspender as viagens para o Norte do Estado nesta segunda-feira, 26. O último ônibus da empresa que saiu de Macapá levou 19 horas para chegar em Oiapoque, o que em condições normais costuma ser cumprido em 9 horas.

O técnico em telecomunicações, Jorge Luiz, que mora e trabalha em Oiapoque, confirmou por telefone as informações da empresa Viação Santanense. “Nós estávamos aguardando um ônibus que saiu de Macapá às 19 horas de domingo e só chegou aqui às 14 horas de hoje (segunda-feira). Foram 19 horas na estrada. Agora quem procura as empresas de transporte é informado que não há viagens programadas”, contou Jorge Luiz.

Caminhões não conseguem passar

Caminhões não conseguem passar

Os proprietários da empresa Viação Santanense disseram que tomaram a medida não apenas por causa dos prejuízos financeiros, mas principalmente para preservar a saúde de motoristas e cobradores. “Nós fomos obrigados a suspender as viagens para Oiapoque por conta da situação precária da estrada. Esperamos uma resposta da Secretaria Estadual de Transportes para saber se será feita alguma coisa para melhorar as condições da rodovia. Enquanto essa resposta não sai, vamos manter a suspensão das viagens”, enfatizou o proprietário da empresa Viação Santanense, Arão Ohana.

Quem conseguiu passar pela estrada no domingo, 25, conta que um ônibus serve de guincho para o outro para que ambos possam passar do trecho que está em condições precárias.

Viação Santanense suspendeu as viagens

Viagem está durando até 19 horas

Na tarde desta segunda-feira, técnicos da Secretaria de Transportes participaram de uma reunião para avaliar a situação da estrada, e traçar estratégia para não deixar as pessoas que viajam entre Macapá Oiapoque sem assistência. A secretaria informou que uma equipe já foi deslocada para o trecho crítico, com máquinas para ajudar os veículos a passarem pelos atoleiros.

Compartilhamentos