Compartilhamentos

Por volta das 5 horas da madrugada desta sexta-feira, 30, dois indivíduos entraram em uma residência no bairro Jardim Marco Zero, Zona Sul de Macapá, renderam a proprietária e ainda a estupraram. Os bandidos levaram eletrodomésticos e aparelhos eletrônicos. Na semana passada aconteceu outro crime com as mesmas características no Bairro do Muca, que é vizinho ao Jardim Marco Zero. Dois homens armados entraram na casa de uma professora e além de roubarem, estupraram a proprietária.

Esse tipo de crime tem se tornado comum em Macapá, fato que tem preocupado a Delegacia de Crime Contra Mulher (DCCM). Segundo a polícia, o número de casos de estupros se estabilizou em comparação com o mesmo período do ano passado, porém a forma com que o crime está sendo praticado vem ganhando notoriedade. “Se formos comparar esses primeiros quatro meses com o mesmo período do ano passado, vamos perceber que a média é praticamente a mesma, com alguns casos a mais em 2014. Porém o que chama atenção é a forma como esses estupros vêm acontecendo. Antes os casos ficavam restritos a atos em locais públicos com pouca iluminação. Porém este ano, os casos de assaltantes de residências que estupram suas vítimas vêm preocupando”, contou a delegada da Vilani Feitosa.

Delegada de Crimes Contra a Mulher, Vilanni Feitosa: casos de invasão de residência com estupro cresceram

Delegada de Crimes Contra a Mulher, Vilanni Feitosa: casos de invasão de residência com estupro cresceram

Na semana passada, o site selesnafes.com divulgou outra ocorrência, em que um garoto de 14 anos rendeu uma adolescente de 12 anos, em uma escola do bairro Jardim Felicidade, Zona Norte de Macapá, a levou para um terreno baldio, roubo o celular e a estuprou. Horas depois ele foi apreendido e a polícia descobriu que o crime tinha ocorrido por encomenda de outra menina.

O período do Carnaval deste ano foi quando aconteceu a maioria dos casos de estupros em Macapá. Foram registrados 13 casos. No Carnaval do ano passado foram apenas 5 ocorrências. “O período do Carnaval geralmente é mais agitado em relação ao número de ocorrências, principalmente por ser uma época em que as pessoas abusam mais da bebida”, explicou Vilani. Segundo ela, no mês de março foram 4 casos registrados, enquanto que no mesmo mês do ano passado foram 8 ocorrências. Já no mês de abril foram sete estupros, o mesmo número de ocorrências anotadas em abril do ano passado.

De forma geral, a Delegacia de Mulheres atendeu no ano passado, 1.339 ocorrências de violência contra a mulher. Este ano já foram registradas 2.037 ocorrências. A delegada Vilani ressaltou que 60% dos casos dizem respeito à violência doméstica.

Compartilhamentos