Compartilhamentos

transportava combustível ilegalmente para comunidades ribeirinhas. O barco de passageiros e cargas levava em recipientes plásticos cerca de 900 litros de gasolina e diesel para o município de Breves (PA). A carga explosiva estava debaixo das redes dos passageiros.

A operação ocorreu no fim da manhã deste sábado, 10, no Canal das Pedrinhas, em Macapá. “O barco foi apreendido também porque a tripulação não tinha documentos e equipamentos de segurança obrigatórios”, explicou o tenente Fabiano Creso, da Capitania dos Portos.

Carotes estavam fechados  de forma precária

Carotes estavam fechados de forma precária. Fotos: Capitania dos Portos

O barco foi levado para a sede da Capitania, no município de Santana, onde foi feito o transbordo do material. “O combustível estava estocado debaixo das redes dos passageiros”, informou o oficial. A embarcação poderá ser desenvolvida desde que o proprietário, que foi multado, regularize as pendências com documentos e equipamentos de segurança.

Tripulantes estavam sem documentos exigidos pela Capitania dos Portos

Tripulantes estavam sem documentos exigidos pela Capitania dos Portos

A Capitania dos Portos vem intensificando a fiscalização para tentar coibir o transporte de combustível, mas a situação é complexa. São milhares de embarcações cruzando os rios da região todos os dias. No dia 11 de abril, sete barcos explodiram no Perpétuo Socorro seguindo uma sequência de outros acidentes parecidos. A embarcação onde houve a primeira explosão transportava 14 mil litros de diesel e gasolina.

Barco ia para o município de Breves, no Pará.

Barco ia para o município de Breves, no Pará.

Ao mesmo tempo em que a fiscalização tenta garantir a segurança das pessoas, as comunidades ribeirinhas que usam geradores movidos à diesel e um número cada vez maior de embarcações a motor, tem o direito de comprar combustível. Até agora, nenhum órgão público apresentou políticas para resolver o problema de abastecimento das comunidades.

 

Compartilhamentos