Compartilhamentos

A família de Mário Ivo Sampaio, assassinado em janeiro deste ano, se pronunciou sobre o resultado das investigações da polícia que apontam o envolvimento da nora do aposentado no crime, Edilene da Silva Trindade, de 34 anos (foto acima). Os parentes de Mário querem que a Justiça faça uma reavaliação da decisão que permite que Edilene responda ao processo em liberdade.

O caso trocou de juiz e o novo magistrado não concedeu a prisão preventiva pedida pela polícia. “Ela deu depoimento admitindo que fez uma cópia da chave da casa para repassar a pessoa responsável pelo crime. Queremos que a Justiça reveja essa decisão, pois com certeza ela vai tentar fugir”, argumentou o filho da vítima, Lucivaldo Portela.

Painel da família em homenagem ao aposentado quando completou 81 anos

Painel da família em homenagem ao aposentado quando completou 81 anos

Para os familiares, o motivo do crime está mais que claro. A ex-nora traiu o filho de Mário, que a pressionou para contar a verdade ou ele mesmo contaria para toda a família. “O meu pai aumentou a pressão sobre ela, que não aguentou e arquitetou todo o crime. Agora só o que pedimos é justiça”, enfatizou o filho, Francisco Ivo Portela.

Lucivaldo Portela, filho da vítima: "com certeza ela vai fugir"

Lucivaldo Portela, filho da vítima: “com certeza ela vai fugir”

A família ainda destacou que caiu por terra a versão contada por Josinei Ferreira Miranda, que executou Mário Ivo. No depoimento, Josinei afirmou que o aposentado foi executado porque tinha se envolvido com uma menor de idade. “Ele contou essa história, mas agora está claro que tudo não passou de vingança, após a pressão do meu pai para que a verdade sobre a traição fosse contada à família” acrescentou Lucivaldo.

Compartilhamentos