Compartilhamentos

A garçonete Jéssica Teixeira Brito, de 24 anos, escapou da morte na noite desta terça-feira, 6. Ela foi jogada do segundo andar de sua casa pelo marido, Adelson dos Santos Maciel, de 30 anos. Ela está internada no Hospital de Emergência com várias escoriações do lado direito do corpo. Exames preliminares mostraram um coágulo na região frontal da cabeça de Jéssica. Segundo os médicos, ela precisa ficar em observação e fazer novos exames que vão mostrar a evolução do quadro clínico.

Jéssica ficou com coágulo na parte frontal da cabeça. Precisará fazer exames

Jéssica ficou com coágulo na parte frontal da cabeça. Precisará fazer exames

O casal vive junto há seis anos em uma casa de dois pavimentos na antiga Vila do Mucajá, no bairro Santa Inês. Jéssica contou que essa não foi a primeira vez que sofreu agressão do marido. Ele teria ficado violento depois que a garçonete resolveu terminar o relacionamento. “Nós já estamos separados há cerca de seis meses, mas ainda vivemos na mesma casa, com nossas duas filhas. O nosso casamento acabou após outras agressões que sofri”, contou.

Os familiares da vítima confirmaram que Jéssica já sofreu outras agressões, mas não com essa violência. Adelson chegou a ser preso, mas não foi encaminhado para a penitenciária porque Jéssica retirou a denúncia.

Hoje, a garçonete acredita que deveria ter tomado uma atitude antes. Agora espera que o agressor seja preso. “Minhas tias sempre diziam que eu deveria acabar com esse relacionamento. Mas, eu sempre dei chance para o Adelson, principalmente por termos duas filhas”, lamentou.

Jéssica disse que já foi agredida outras vezes, mas agora garante que não tem mais volta

Jéssica disse que já foi agredida outras vezes, mas agora garante que não tem mais volta

Jéssica conta que chegou do trabalho e se preparou para sair e comprar algo para jantar. “Mas desde o momento em que afirmei que queria me separar, as discussões só aumentaram e na noite passada não foi diferente. Acho que ele pensava que eu iria sair para a festa, mesmo eu dizendo que iria apenas comprar comida. Ele ficou muito irado e começou me dar socos. Tentei fugi para o pátio do segundo andar, mas ele me alcançou e me empurrou. Daí eu não lembro de mais nada”

Os familiares de Jéssica foram avisados por vizinhos sobre o que tinha ocorrido. Adelson fugiu com medo de ser preso, já que existem outras denúncias de agressão contra ele.

As filhas do casal, uma de seis e outra de três anos estão na casa de um irmão de Jéssica, enquanto as buscas pelo agressor continuam. Marilda Teixeira, tia de Jéssica, diz que a família nunca gostou de Adelson, e sempre aconselhou o fim do relacionamento. “Eu sempre disse que isso iria acabar em tragédia. Graça a Deus que ela está viva. Esperamos que isso sirva de lição”, enfatizou.

Jéssica garante que desta vez não tem mais volta. O fato já foi denunciado e Adelson está sendo procurado pela polícia.

Compartilhamentos