Compartilhamentos

À exemplo do que ocorreu há duas semanas, pacientes internados no Hospital de Emergência de Macapá voltaram a ocupar a Rua Hamilton Silva, Centro de Macapá, no início da tarde desta quarta-feira, 21. Eles protestavam contra a lentidão nas cirurgias ortopédicas. Só que desta vez a situação é um pouco pior. As cirurgias estão suspensas porque os médicos ortopedistas estão com o pagamento dos plantões atrasados e também não há vagas no Hospital de Clínicas Alberto Lima.

Trânsito foi interrompido no horário de maior movimento

Trânsito foi interrompido no horário de maior movimento. Foto: Gesiel Oliveira

Ao todo, 38 pacientes precisam ser transferidos para o Hcal onde deveriam ser submetidos a cirurgas de alta complexidade, mas como as cirurgias foram suspensas por lá, o tempo de internação aumentou, fazendo com que também não haja leitos disponíveis. Há duas semanas um protesto parecido foi motivado pela suspensão do mutirão de cirurgias ortopédicas.

Há pacientes internados no HE há 3 meses

Há pacientes internados no HE há 3 meses

Nesta quarta-feira, os pacientes e parentes também sentaram no asfalto e interromperam o trânsito no horário de maior movimento. Os pacientes, alguns internados há 3 meses, também se queixaram da falta de leitos dentro do próprio HE. A direção do hospital informou que um dos motivos é a quantidade elevada de acidentes de trânsito. No último fim de semana 64 pessoas deram entrada no Hospital de Emergência com ferimentos causados por acidentes. Desse total, 26 precisaram ficar internadas. 

No HE, sem leitos, pacientes aguardam cirurgia no chão e em macas. Espera pode durar meses

No HE, sem leitos, pacientes aguardam cirurgia no chão e em macas. Espera pode durar meses

 

Compartilhamentos