Compartilhamentos

Policiais civis e militares cumpriram no início da tarde desta segunda-feira, 26, mandado de prisão contra a professora Aurivane Neves da Silva, de 42, acusada de tentar matar outra professora, Marineide da Silva Lopes, da mesma idade. Marineide é a atual mulher do ex-marido de Aurivane, que estava internada no Hospital São Camilo.

A internação ocorreu  há cerca de 10 dias por recomendação de um psiquiatra. No último dia 15, ela teve a prisão preventiva decretada pela 1ª Vara do Tribunal do Júri, mas a polícia desconhecia o paradeiro dela. O advogado criminalista Maurício Pereira chegou a informar que a cliente estava internada para tratamento por suspostamente ainda estar em estado de choque.

Casa do Professor, onde o crime ocorreu

Casa do Professor, onde o crime ocorreu

Ao que tudo indica, a Polícia Civil vinha monitorando Aurivane durante a internação. Nesta segunda-feira, logo após a alta médica, ela foi surpreendida por policiais civis e militares portando o mandado de prisão. “Estamos esperando o julgamento de um pedido para que ela fique em prisão domiciliar”, adiantou o advogado.

Logo após a decretação da prisão, Aurivane deu entrevista exclusiva para o site

Logo após a decretação da prisão, Aurivane deu entrevista exclusiva para o site

Depois da voz de prisão, Aurivane foi conduzida para a 6ª Delegacia de Polícia do Bairro do Trem e deve aguardar no Iapen o julgamento do pedido do advogado. No início do mês, Aurivane entrou com uma arma na Casa do Professor, no Centro de Macapá, e disparou quatro tiros contra Marineide por não aceitar o término do casamento.

Antonio Fernandes,  filho de Marineide: coma

Antonio Fernandes, filho de Marineide: coma

Logo depois da decretação da prisão preventiva, Aurivane deu uma entrevista exclusiva ao site falando sobre o fim do casamento, as brigas com o ex-marido e o dia do crime. O estado de saúde de Marineide piorou muito nos últimos dias. Ela entrou em coma depois de mais uma cirurgia. O filho dela, Antonio Fernandes, diz a mãe aguarda melhora do quadro clínico para ser transferido a Belém. 

Familiares de Marineide foram

Familiares de Marineide foram para a frente da Delegacia de Polícia do Bairro do Trem

Compartilhamentos