Compartilhamentos

Foi encontrado por volta das 9h30 da manhã desta quinta-feira, 15, o corpo de Marlon dos Santos Araújo, de 22 anos. Ele estava desaparecido desde a madrugada após a abordagem de policiais militares no bairro do Pacoval. Dois adolescentes que estavam com ele acusam os PMs de obrigá-los a pular no Rio Amazonas. Marlon não sabia nadar.

A abordagem ocorreu por volta das 3 horas da manhã, em um posto de gasolina do bairro do Pacoval. Os dois adolescentes contaram que vinham de um ensaio de quadrilha junina quando decidiram parar no posto para beber. Foi quando chegou a viatura da PM, houve a revista, e eles foram colocados dentro do veículo para serem levados até uma casa no bairro Perpétuo Socorro, onde teria ocorrido uma sessão de espancamento.

Marlon teria dito que não sabia nadar. Pulou ao som de tiros e ameaças, segundo testemunhas

Marlon teria dito que não sabia nadar. Pulou ao som de tiros e ameaças, segundo testemunhas. Foto: Álbum de família

Em seguida, os três foram levados para o fim da Avenida Pedro Américo, no Perpétuo Socorro, e obrigados a pular nas águas do Rio Amazonas ao som de tiros disparados para o alto. Marlon ainda teria pedido para não pular avisando que não sabia nadar. “Meu irmão não fez nada. Vamos levar o caso até a Corregedoria da Polícia Militar”, disse um irmão da vítima.

Caso causou comoção no Perpétuo Socorro. Rapaz não tinham passagem pela polícia

Caso causou comoção no Perpétuo Socorro. Rapaz não tinham passagem pela polícia

Os rapazes disseram que Marlon ainda tentou se salvar segurando neles, mas com o rio agitado por conta da maré alta os três começaram a afundar. “Eles tiverem que se salvar se afastando dele”, explicou uma testemunha.

O caso causou comoção no bairro Perpétuo Socorro. Nenhum dos três rapazes tinha passagem pela polícia. O Corpo de Bombeiros iniciou as buscas no início da manhã, mas Marlon só foi localizado na maré vazante. O corpo dele foi encaminhado para a Polícia Técnica. O comando da PM foi procurado, mas até agora não se posicionou sobre o caso.

 

Compartilhamentos