Compartilhamentos

O juiz Matias Pires Neto, da 4ª Vara Criminal de Macapá, determinou a prisão do empresário Luciano Marba, proprietário da empresa de Vigilância LMS, e do sócio dele Admar Barbosa. Os dois são acusados de participar de tentativas de fraudas o contrato da vigilância das escolas estaduais. Os dois dizem que sofreram extorsão de funcionários da Secretaria de Educação do Estado.

A prisão de Admar Barbosa, sócio minoritário da LMS, ocorreu no meio da manhã desta quinta-feira, dia 15. Ele foi levado para o prédio do Ciosp do Pacoval, e depois encaminhado para exame de corpo de delito na Polícia Técnica do Amapá. O empresário Luciano Marba, de acordo com o MP, está fora do país. O MP alega que ambos são articuladores, e podem prejudicar as investigações.

Mandado de prisão contra o empresário Luciano Marba

Mandado de prisão contra o empresário Luciano Marba

Os dois empresários aparecem em vídeos gravados por Marba e exibidos pelo Fantástico do último domingo, 11, entregando dinheiro e Bruno Nascimento, então assessor jurídico da Seed, e a Edilberto Silva, marido da então secretária de Educação do Estado, Miriam Corrêa. Nenhum deles teve a prisão solicitada pelo Ministério Público. Além de Marba e Admar, o MP pediu somente a prisão do policial civil Cleobernaldo, que prestaria serviços para Marba. 

 

Compartilhamentos