Compartilhamentos

O comerciante Aldenis Portilho, de 32 anos, foi executado com cinco tiros na manhã desta segunda-feira, 2, quando abria sua loja de manutenção de celular na esquina da Rua Cândido Mendes com a Avenida Mendonça Júnior, no Centro Comercial de Macapá. Três tiros atingiram o peito do comerciante. Ele ainda foi levado para o Hospital de Emergências (HE), mas não resistiu. A noiva de Aldenis estava ao lado dele, mas não foi atingida.

Comerciante foi assassinado quando abria a loja.

Comerciante foi assassinado quando abria a loja.

Câmeras de segurança de lojas próximas registraram a ação de dois criminosos que estavam em uma moto preta. O atirador estava na garupa. Na hora da fuga, um dos criminosos deixou cair o próprio celular. A polícia suspeita que a execução pode ter sido motivada por desentendimento quanto ao ponto comercial que Aldenis trabalhava. Ele estava no local há 15 dias. Porém, não há informações alguma briga envolvendo o comerciante por causa do ponto.

Aldenis Portelho estava com casamento marcado para esta segunda-feira

Aldenis Portelho estava com casamento marcado para esta segunda-feira

Mas a hipótese de crime passional não foi descarta. De acordo com familiares, Aldenis Portilho estava de casamento marcado para esta segunda-feira à tarde. “Eu estava próximo do local. Ouvi os tiros e a moto fugindo. A noiva dele começou a gritar. Eu corri e vi que tinha muito sangue. Coloquei o Aldenis dentro do carro e levei para o hospital, mas ele não resistiu”, disse Natanael de Almeida, amigo de Aldenis, que estava com a roupa ainda suja de sangue.

Segundo o tenente Carlos Vilhena, do 6ª Batalhão da Polícia Militar, que atendeu a ocorrência, o crime foi execução. “Não levaram absolutamente nada. Chegaram alvejaram a vítima e foram embora”, disse.

Tenente Carlos Vilhena: "não levaram nada"

Tenente Carlos Vilhena: “não levaram nada

Para o tenente, o aparelho de celular que caiu de um dos bandidos pode ajudar a encontrar os criminosos. “O dono do celular já ligou e estamos rastreando se realmente pertence uma das pessoas que mataram o comerciante, mas tudo indica que seja”, enfatizou Vilhena.

Com a blusa manchada de sangue, Natanael Almeida, amigo da vítima, tentou socorrê-lo.

Com a blusa manchada de sangue, Natanael Almeida, amigo da vítima, tentou socorrê-lo.

Familiares do comerciante contam que ele não tinha rixa com pessoas próximas do seu ponto comercial. “Ele não tinha problema com ninguém. Estava muito feliz porque se casaria hoje. Estamos muito abalados e revoltados com essa injustiça”, disse a irmã do comerciante, que não quis ser identificada. O corpo de Aldenis já foi encaminhado para a Polícia Técnica..

Compartilhamentos