Compartilhamentos

Está confirmado para esta segunda-feira, 16, no plenário 2 do Fórum de Macapá, o julgamento de José Ribamar Rosa Nascimento, 47 anos, também conhecido Jomar, acusado de matar a ex-companheira, Maria Domingas Marques, de 40 anos, e o filho dela Danilo Marques, de 16 anos, a facadas, no dia 21 de julho do ano passado.

O crime aconteceu no Distrito do Coração, zona rural de Macapá. Os corpos de Danilo e da mãe dele foram encontrados dois dias depois do crime já em estado de decomposição na casa onde moravam. O corpo de Maria estava no quarto dela, em cima de uma cama. O adolescente num outro quarto.

mae_e_filho_mortos

Domingas e o filho foram mortos num crime passional, segundo a polícia. Foto: Reprodução/Álbum de família

José Ribamar é cantor e por isso tem o nome artístico de Jomar Nascimento. Ele viveu com Maria por dois anos e estava separado dela quando aconteceu o crime. Na época, vizinhos contaram à polícia que no fim de semana do crime, Jomar foi visto na casa. Segundo as testemunhas, um aparelho de som foi ligado na casa com o volume muito alto, para abafar os gritos das vítimas. Jomar ainda ligou para uma vizinha avisando que havia matado mãe e filho.

Logo em seguida ao crime Jomar fugiu e um mês depois ele foi preso em Castanhal, no Pará. Depois de preso ele confessou o crime e disse que queria matar apenas Maria Domingas, e que a morte do adolescente foi acidental.

Parentes de Maria Domingas contaram à polícia que Jomar não aceitava a separação e por isso resolveu tirar a vida dela. Jomar trabalhava como pedreiro e nas horas vagas era  cantor de brega.

 

Compartilhamentos