Compartilhamentos

O julgamento de José Ribamar Rosa Nascimento, de 47 anos, que confessou ter matado a ex-mulher Maria Domingas Martins Marques, de 40 anos, e o filho dela Danilo Martins Rodrigues, de 16 anos, iniciou nesta segunda-feira, 16, na 2ª Vara cível do Fórum de Macapá. O crime, que teria sido motivado pelo fim do relacionamento, aconteceu dia 21 de julho do ano passado, no Distrito do Coração, Zona Rural de Macapá, na casa onde morava Maria Domingas e o filho. Os corpos foram encontrados dias depois em estado de decomposição. O corpo de Maria estava no quarto dela, em cima de uma cama. O adolescente no outro quarto.

jomar

O acusado José Ribamar era pedreiro e também atuava como cantor de brega, por isso usava o nome artístico de Jomar Nascimento. Ele viveu com Maria por dois anos e estava separado dela quando aconteceu o crime. Segundo as testemunhas, Jomar foi visto saindo da casa e momentos antes teria ligado o aparelho de som com o volume muito alto, para abafar os gritos das vítimas. Jomar fugiu, mas um mês depois ele foi preso na cidade de Castanhal, no Pará. Confessou que queria matar apenas Maria Domingas, e que a morte do enteado foi acidental.

Promotor Eli Pinheiro

Promotor Eli Pinheiro: “banalidade”

Para o promotor de justiça Eli Pinheiro, Jomar matou Maria Domingas por motivo fútil e o enteado porque teria esboçado reação. “Ele matou os dois por banalidade. Primeiro matou a ex-companheira e depois se voltou contra o filho dela porque reagiu. Matou os dois, manipulou a cena do crime movendo os corpos e foi até a vizinhança pegar dinheiro emprestado para fugir”, disse o promotor.

advogado de defesa - Osny Brito

Advogado Osny Brito: “violenta emoção”

 

Quando foi preso, ano passado, o réu confessou que teria matado a esposa porque ela o teria chamado de “corno e chifrudo”. Segundo o advogado de defesa, Osny Brito, o assassinato foi motivado por uma série de acontecimentos envolvendo infidelidade de Maria. “Ele viu Maria com outro homem. Então, José Ribamar foi na casa dela tirar satisfações e terminar o relacionamento. Mas ela o provocou injustamente e tentou agredi-lo com uma faca. Foi quando ele, dominado de violenta emoção, a matou. E ainda totalmente emocionado matou o enteado”, afirmou o advogado.

Compartilhamentos