Compartilhamentos

Membros de uma associação que presta serviços de segurança de trilhos para a Zamim Ferrous bloquearam a estrada de ferro nesta quarta-feira, 18, no trecho que passa pelo município de Santana. Era um protesto contra o atraso de quase seis meses no pagamento. Além da associação, a mineradora indiana também deve para empresas de transporte de cargas e construção civil que prometem manifestações esta semana.

A Associação Jardim de Deus foi contratada pela Anglo Ferrous em 2011, depois que moradores foram atropelados pela composição que transportava minério de ferro entre Pedra Branda do Amapari e Santana. A entidade ficou com a responsabilidade de manter moradores afastados da estrada de ferro e assim evitar novas mortes.

Associação de Moradores diz que atrasos começaram depois que a Anglo American deixou o estado

Associação de Moradores diz que atrasos começaram depois que a Anglo American deixou o estado

Em abril do ano passado, quando a Anglo American anunciou a venda da concessão de lavra e transporte para a Zamim, os atrasos nos pagamentos começaram e não só para a associação de moradores.  “Fomos contratados para executar uma construção e terminamos em fevereiro. Até hoje a empresa não pagou. Vive marcando datas e nada de sair o pagamento. Os funcionários também estão prometendo fazer manifestação na porta da Zamim”, avisa um empresário.

Associação diz que não recebe pagamentos há 6 meses

Associação diz que não recebe pagamentos há 6 meses

O protesto desta quarta-feira começou com o bloqueio da estrada de ferro. Depois, pessoas mais exaltadas, tocaram fogo em entulhos atravessados na linha de ferro. A Associação Jardim de Deus deveria receber R$ 17 mil por mês. O salário de cada um dos 43 funcionários é de pouco mais de R$ 800. SelesNafes.Com tentou contato com a assessoria de imprensa da Zamim, mas não houve retorno das nossas ligações.

Compartilhamentos