Compartilhamentos

O Batalhão de Operações Especiais (BOPE) prendeu na BR-156, Diego dos Santos Pereira, o “Dieguinho” (foto acima). Segundo a polícia, ele iria dar apoio a dois criminosos que participaram do assalto a agência dos Correios no município de Ferreira Gomes (135 quilômetros de Macapá), ocorrido na quarta-feira, 18. Os criminosos levaram R$ 50 mil da agência. O dinheiro ainda não foi localizado, assim como os últimos bandidos que ainda estão escondidos no meio da mata e estão sendo caçados por policiais do Bope. 

“Dieguinho”, que já cumpriu pena por tráfico de drogas e roubo, foi surpreendido e ainda tentou fugir. Depois de preso, a polícia foi ao local de encontro dos bandidos, uma casa na comunidade do Cedro, a 14 quilômetros de Macapá, mas nada encontrou. Diego já havia sido preso com mais 4 pessoas no início deste mês em uma residência no Bairro Infraero I com R$ 11,2 mil, que possivelmente seriam parte do roubo ao Banco do Brasil, em Santana.

Casa na comunidade do Cedro que servia como base dos bandidos

Casa na comunidade do Cedro que servia como base dos bandidos. Foto: Bope

A equipe do BOPE acredita ter desarticulado uma quadrilha responsável por pelos menos três assaltos a correspondentes bancários no estado. A polícia chegou aos criminosos depois do assalto aos Correios em Ferreira Gomes, quando quatro bandidos foram mortos em troca de tiros com os policiais. Dois fugiram com o dinheiro roubado e ainda não foram encontrados. Policiais do BOPE continuam em uma área de mata entre os municípios de Ferreira Gomes e Porto Grande a procura dos assaltantes.

Dieeguinho estava na casa, no Infraero I, onde a polícia encontrou R$ 11 mil logo após o assalto ao Banco do Brasil em Santana.

Dieguinho estava na casa, no Infraero I, onde a polícia encontrou R$ 11 mil logo após o assalto ao Banco do Brasil em Santana, no mês passado.

A Polícia Rodoviária recebeu a denúncia que Dieguinho estava a caminho de Ferreira Gomes para resgatar os dois fugitivos e o dinheiro por volta de 10 horas da manhã desta quinta-feira. O criminoso estava na companhia de mais quatro pessoas, que foram liberadas. Uma delas era Diana Kelly Barros Caetano, que também foi presa no Infraero I no inicio do mês. “O Dieguinho foi encontrar os dois assaltantes para pegar o dinheiro. Eles formavam uma quadrilha que estava se especializando em assaltos no estado. Temos quase certeza que o dinheiro roubado está com os dois fugitivos”, contou o tenente do BOPE, Ewerton Dias.

Tenente do Bope Ewerton Dias: dinheiro está com os foragidos

Tenente do Bope Ewerton Dias: dinheiro está com os foragidos

O BOPE acredita que “Dieguinho”, os quatro comparsas mortos e os dois que ainda estão desaparecidos, são responsáveis pelos principais roubos a banco e a correspondentes bancários no Amapá e no interior do Estado do Pará. Um dos crimes atribuídos a quadrilha foi o roubo a uma joalheria em março de 2013, em Belém. Outro seria o roubo ao Banco do Brasil em Santana, de onde foram levados R$ 411 mil. “Tudo indica que eles têm participação em outros roubos. Tanto que uma mulher que estava no carro com “Dieguinho” era esposa do Francideibe, um dos bandidos que morreu, e a outra tinha sido presa com R$ 11 mil no inicio do mês”, explicou o tenente.

 

Compartilhamentos