Compartilhamentos

Uma reportagem do jornal online O Estadão, publicada neste domingo, 1º, traça um panorama sobre a corrida ao Senado no Amapá, e especificamente sobre o futuro político de José Sarney (PMDB-AP), que pode tentar o sexto mandato de senador. Sem apoio do governo estadual e da prefeitura da capital (PSB e PSOL, respectivamente) e atrás nas pesquisas, pela primeira vez Sarney pode ficar sem um cargo majoritário em 60 anos de vida pública.

De acordo com a reportagem, Sarney está numa situação mais perigosa que em 2006, quando venceu Cristina Almeida (PSB) por 10 mil votos de diferença. Sarney sabe que precisa do apoio incondicional de Lula para que o PT do Amapá abrace sua candidatura. Além disso, e principalmente, Sarney está em segundo lugar nas pesquisas internas de todos os partidos que apontam como franco favorito o deputado federal Davi Alcolumbre (Democratas). 

Segundo a reportagem do Estado, Davi Alcolumbre (Democratas) vem liderando pesquisas internas de partidos

Segundo a reportagem do Estadão, Davi Alcolumbre (Democratas) vem liderando pesquisas internas de partidos

Outro problema é que o PT do Amapá tem sua própria pré-candidata ao Senado, a vice-governadora Dora Nascimento, esposa do presidente estadual do PT, Joel Banha. A esperança de Sarney é que Lula, que ainda não se manifestou, determine que o PT retire Dora Nascimento do pleito. Há também muitas divergências dentro do próprio PT nacional a respeito do apoio à Sarney, que aos 82 anos, está com a saúde debilitada

.

No link: http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,sobrevida-de-sarney-pode-depender-de-lula,1503673 você lê a reportagem na íntegra.

Compartilhamentos