Compartilhamentos

A Praça Cívica é o local mais movimentado de todo domingo à noite no município de Santana. Assim como no Parque do Forte, em Macapá, na Praça Cívica centenas de jovens se encontram para namorar e conversar, mas também para brigar. Foi o que ocorreu ontem, 8. Um garoto de 16 anos foi assassinado a facadas na praça por pelo menos quatro pessoas.

O crime ocorreu por volta das 10 horas. A vítima, Rafael Martins do Nascimento, de 16 anos, foi assassinada com várias facadas durante uma festa que acontecia na Praça Cívica. O motivo do assassinato não foi divulgado, mas o 4º Batalhão da Polícia Militar, que atendeu a ocorrência, acredita em rixa.

O suspeito do crime é um homem conhecido como Bruninho, que está foragido. Segundo informações da PM, pelo menos 3 homens e uma mulher teriam participado das agressões. “O assassinato não ocorreu especificamente na praça, onde ocorria um evento, mas sim no entorno”, explicou um policial.

Os crimes com morte entre jovens em Santana são comuns, especialmente motivados por brigas entre gangues na Praça Cívica. Apesar da frequência com que ocorrem no local, não existe um policiamento específico para a Praça Cívica. “Existe uma viatura que fica circulando nas imediações, mas não exclusivo para a praça”, explica um policial.

Atropelamento 

No fim de semana outra morte foi registrada pelo Centro Integrado de Operações da Polícia (Ciodes). Na noite de sábado, por volta das 10 horas, Joel Santos de Oliveira, de 27 anos, morreu depois de ter sido atropelado por um ônibus. O acidente ocorreu na esquina da Avenida Ernestino Borges com a Rua Jovino Dinoá, no Centro de Macapá.

De acordo com a polícia, Joel estava de bicicleta. Ele chegou a ser levado por uma ambulância do Corpo de Bombeiros para o Hospital de Emergência, mas não resistiu.

Compartilhamentos