Compartilhamentos

A delegada Luíza Maia, da 2ª Delegacia de Santana, responsável pelas investigações sobre o roubo que aconteceu na agência do Banco do Brasil em Santana, na terça-feira, 4, liberou as cinco pessoas presas sob suspeita de terem participado do crime. Segundo a assessoria de comunicação da Secretaria de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), não existia flagrante e nada comprovou a participação deles, mesmo não apresentando explicações sobre a origem de 11,2 mil reais encontrados na bolsa de uma das mulheres presas.

Diego dos Santos Ferreira, 28 anos; Marlos Renan Costa de Sá, 23 anos; Jonh Frank da Silva Pinto, de 26 anos; Diana Kelly Barros Caetano, 24 anos e Greyce Paiva Bastos, 26 anos, foram presos um dia depois do roubo do Banco do Brasil, em uma casa alugada há três meses, na Rua Jhonatan Bezerra, 1673, Bairro Infraero I. Os três homens que são paraenses, já cumpriram pena por roubo no Iapen. As duas mulheres são primas, e possuem pelo menos três passagens por roubo e tráfico de drogas. Diana Kelly Barros Caetano, por exemplo, já cumpriu pena de dois anos por tráfico de drogas no Iapen.

Para o Batalhão de Operações Especiais (Bope), que fez as prisões, havia indícios de que as cinco pessoas tenham participado do roubo de R$ 411 mil na única agência do Banco do Brasil em Santana. Além do dinheiro, munição de espingarda, celulares, uma motocicleta, chaves de veículos e ferramentas foram encontrados. Os três homens e as duas mulheres possuem passagem por roubo e trafico de drogas. Mas a delegada Luíza Maia argumentou que não tinha elementos para mantê-los presos.

Compartilhamentos