Compartilhamentos

Somente nos meses de maio e junho a Companhia de Transportes de Macapá (CTMac) apreendeu 600 veículos. O número corresponde a mais da metade do total de veículos apreendidos no ano passado. A maioria são motos que fazem o transporte clandestino de passageiros.

O diretor de Transportes da Companhia, Michel Braz, informou um dado alarmante. Segundo pesquisas da própria CTMac, 35% dos casos de estupros registrados no ano passado em Macapá são decorrentes de viagens com mototaxistas clandestinos. “É muito preocupante e complicado. Por isso intensificamos a fiscalização. Ano passado para cada 4 mototaxistas legalizados existiam 2 clandestinos. Hoje reduzimos para um clandestino a cada quatro legalizados”, comentou o diretor.

Michel Braz - Diretor de Transporte da Ctmac

Michel Braz – Diretor de Transporte da Ctmac

No ano passado, a CTMac realizou 4.022 abordagens a veículos em toda a capital. Desse total, 1.161 motos e 790 carros foram apreendidos por várias irregularidades como, documento atrasado, estacionamento proibido, excesso de multa e transporte ilegal de passageiros. Este ano mais de 1.600 abordagens já foram realizadas, sendo que só em maio e junho 600 carros e motos foram retirados das ruas. “A frota de veículos aumento e a fiscalização está mais intensa. Essas seriam as principais causas desse número elevado de apreensões. Com o apoio de vários órgãos conseguimos fiscalizar vários pontos da cidade”, explicou Michel Braz.

MACAPÁ VERÃO

A CTMac, que conta com o apoio da Polícia Civil, Bptran e Guarda Municipal, já prepara operação especial para o mês de julho, quando acontecem as programações de verão.  As linhas de ônibus, por exemplo, funcionarão normalmente nos fins de semana para atender os balneários de Fazendinha, Araxá, Canal do Jandiá e Curiaú.

Quanto a fiscalização nas ruas, a Companhia vai colocar patrulhas em pontos estratégicos da cidade. Haverá também apoio da Polícia Rodoviária Federal e da Secretaria de Transportes nas rodovias. A expectativa é que o número de apreensões aumente 25% nesse período. Se isso ocorrer, é possível que a CTMac apreenda mais veículos que nos dois últimos anos juntos.

Compartilhamentos