Compartilhamentos

O Ministério Público Estadual ingressou com ação contra o ex-prefeito de Macapá Roberto Goes (PDT), acusado de causar prejuízos de mais de R$ 300 mil aos cofres públicos. Góes teria repassado para a empresa M.M.A. LTDA, representada por dois primos dele, um terreno na área urbana de Macapá. O crime seria de improbidade administrativa.

Segundo as investigações do MP, Roberto Góes teria repassado o terreno da prefeitura sem que o município recebesse pela compra. O valor do terreno era de R$ 312 mil que deveriam ser pagos ao Executivo Municipal. Porém, a empresa foi isenta de pagamento.

“Cabe ressaltar ainda, que a empresa beneficiada (M.M.A.LTDA) que atua no ramo da construção civil com o nome fantasia de Amplitude Construções e Incorporações Imobiliárias, pertence aos irmãos Marcel Angel Góes e Márcio André Góes, que são primos do ex-prefeito”, enfatiza a promotora de Justiça Christie Damasceno Girão, que subscreve a ação.

De acordo com o MP, outras pessoas também foram beneficiadas com títulos de posse sem a realização de pagamento causando prejuízos aos cofres públicos. Todos os documentos que trazem a assinatura do ex-prefeito serão enviados para o Tribunal de Justiça do Amapá.

Compartilhamentos