Compartilhamentos

A Delegacia de Crime Contra o Patrimônio (DCCP) prendeu nesta segunda-feira, 21, em uma casa no Bairro Cidade Nova, Zona Leste da capital, um dos acusados de envolvimento no latrocínio que vitimou o arquiteto Orlando Homobono, de 43 anos, em uma tentativa de assalto no dia 5 de junho deste ano. Câmeras de segurança mostram o rapaz no local do crime no dia da morte do arquiteto.

HOmobono Arquivo pessoal

Arquiteto Orlando Homobono morto no dia 05 de junho

Segundo o delegado Glemerson Arandes, Roney Serrão da Silva, de 19 anos, confessou participação na morte do arquiteto e em mais quatro assassinatos em Macapá, todos quando ainda era menor de idade. O acusado é o terceiro a ser preso após o caso. Além dele, outros dois foram presos como coautores do crime, além de um assaltante que foi morto em uma troca de tiros contra a polícia.

Em um dos assassinatos em que se envolveu, Roney teria matado um idoso com pelo menos 20 facadas. “Tendo em vista essa situação, nós pedimos a prisão temporária dele para que possamos pegar depoimentos formais e para solicitar a comparação de DNA. E também analisar as imagens do circuito da casa no dia do crime”, explicou o delegado Glemerson Arandes.

Roney contou à polícia que estava na casa do arquiteto no dia do crime, mas que não teria entrado na residência. Ele colocou a culpa em um comparsa que morreu em uma troca de tiros com o Bope no interior do Estado. Uma quinta pessoa ainda está sendo procurada como coautora do crime.

Fotos: Arquivo Pessoal

Compartilhamentos