Compartilhamentos

A corrida pelo Palácio do Setentrião já começou oficialmente. Sete coligações registraram candidaturas no Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Segundo o TRE, este é o ano com maior número de candidatos na história do Amapá, ao todo mais de 500.

Concorrem: Bruno Mineiro (PTdoB), Camilo Capiberibe (PSB), Décio Gomes (PCB), Genival Cruz (PSTU), Jorge Amanajás (PPS), Waldez Góes (PDT) e Lucas Barreto (PSD).  Para o Senado são 10 candidatos, 105 a deputado federal e 353 a deputado estadual. Algumas candidaturas poderão ser indeferidas pela Lei da Ficha Limpa.

A disputa pelo Governo do Estado terá investimento de R$ 17 milhões, de acordo com o TRE. O maior gasto será do candidato à reeleição Camilo Capiberibe (PSB), orçado em R$ 6,8 milhões, e o menor será de Décio Gomes (PCB), de R$ 200 mil.

O site selesnafes.com fez o levantamento do perfil e gastos dos candidatos ao governo do estado. Acompanhe por ordem alfabética.

 

Bruno Mineiro (PTB)

Bruno Mineiro (PTB) prevê gastar R$ 5 milhões

Bruno Mineiro (PTB) prevê gastar R$ 5 milhões

Bruno Manoel Rezende é deputado estadual eleito em 2010. Nascido em Belém, no Pará, veio aos 7 meses morar no Tartarugalzinho. Em 2002, graduou-se em Engenharia Civil pela Fundação Mineira de Educação e Cultura.  Em 2010, foi eleito deputado estadual. Na Assembleia Legislativa, assumiu o cargo de Presidente da Comissão de Transportes e Obras Públicas-CTO e dois anos depois foi nomeado Secretário Estadual dos Transportes.

Tem 34 anos e é casado com a odontóloga Liliane Abreu. É filiado ao Partido Trabalhista do Brasil (PT do B). Lidera a coligação “Unidos por um Amapá que queremos”, composta pelos partidos PT do B, PV, PSDC, PROS, PEN, PR, PHS, PRB e PTN. Tem Aline Gurgel (PR) como vice.

Um dos maiores investimentos de campanha será desta coligação. Foi informado como previsão de gastos R$ 5 milhões.

Camilo Capiberibe (PSB)

Camilo Capiberibe (PSB) prevê gastar R$ 6,8 milhões

Camilo Capiberibe (PSB) prevê gastar R$ 6,8 milhões

Carlos Camilo Góes Capiberibe, atual governador do Amapá nasceu na cidade de Santiago, no Chile, em 1972. Iniciou a vida política ainda na universidade por meio do movimento estudantil. Foi eleito deputado estadual em 2006. Anos depois concorreu à Prefeitura de Macapá, mas acabou derrotado. Ele é formado em Direito pela Pontifícia Universidade Católica e Mestre em Ciências Políticas pela Universidade de Montreal, no Canadá.

Ocupa o cargo de governador desde 2011, depois de vencer no segundo turno as eleições majoritárias. Tem 42 anos e é casado com a advogada Cláudia Camargo, atual secretária de Estado da Inclusão e Mobilização Social. Seu partido lidera a “Frente Popular a Favor do Amapá”, que conta com PT, PSOL e PC do B. Tem como vice Carlos Rinaldo Martins (PSOL).

Camilo Capiberibe apresentou ao TRE uma previsão de gastos de R$ 6,8 milhões.

 

Décio Gomes (PCB)

Décio Gomes (PCB) tem previsão de gastar R$ 200 mil

Décio Gomes (PCB) tem previsão de gastar R$ 200 mil

Décio Araújo Gomes é candidato a governador pelo Partido Comunista Brasileiro (PCB). Natural de Macapá, é novo na vida política. Solteiro, 44 anos, o candidato possui ensino médio completo e é diretor de empresa. Décio sempre defendeu dentro do partido candidatura ao governo. Este ano, o partido sai com “chapa pura”. Tem como candidato a vice-governador Paulo Gaia (PCB).

Décio Araújo Gomes informou ao TRE que pretende gastar R$ 200 mil na campanha.

 

Genival Cruz (PSTU)

Genival Cruz (PSTU) gastos previstos de R$ 50 mil

Genival Cruz (PSTU) gastos previstos de R$ 50 mil

Genival Cruz de Araújo é maranhense do município de Caxias. Já disputou três eleições ao cargo de governador. Conhecido por ser combativo nas causas trabalhistas.

Atualmente é presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários (Sincottrap) e motorista de ônibus. Solteiro e com o ensino médio completo, também disputa as eleições majoritárias com “chapa pura”. A chapa “Amapá para os Trabalhadores” tem como vice Wilamo Barbosa.

Genival Cruz tem previsão de gastar na campanha R$ 50 mil.

 

Jorge Amanajás (PPS)

Jorge Amanajás (PPS) prevê gastos de R$ 2 milhões

Jorge Amanajás (PPS) prevê gastos de R$ 2 milhões

Jorge Emanuel Amanajás Cardoso é professor e instrutor de Formação Profissional. Nasceu no município de Chaves, Pará. É licenciado em Física e Engenheiro Civil. É pós-graduado em Metodologia do Ensino Superior pela Universidade Federal do Pará. Exerceu por três mandatos o cargo de deputado estadual. Ficou conhecido pela presidência da Assembleia Legislativa por duas vezes. Em 2010 foi candidato ao governo, terminou em terceiro lugar.

Jorge Amanajás é casado, tem 47 anos, e representa a chapa  “O Futuro Começa Agora”, composto pelo PSC, PRTB, PMN, PTC, PRP, PPL e PTB. Tem com vice Daiana Ramos.

No TRE a coligação apresentou previsão de gastos de R$ 2 milhões na segunda tentativa de chegar ao Setentrião. Em 2010, ele gastou R$ 6 milhões e ficou em terceiro lugar

 

Lucas Barreto (PSD)

Lucas Barreto (PSD) estima gastos de R$ 3 milhões

Lucas Barreto (PSD) estima gastos de R$ 3 milhões

Luis Cantuária Barreto tem 50 anos, e atualmente é vereador de Macapá. Nasceu em 1964, e iniciou a vida política no movimento estudantil. Em 1990, foi eleito deputado estadual, onde permaneceu no cargo por três mandatos consecutivos. Se candidatou a prefeito da capital em 2008 e em 2010 tentou novamente vaga ao Setentrião vencendo o primeiro turno, mas perdendo no segundo para o atual governador.

Lucas é casado com Maria das Graças Faustino da Soledade Barreto. Na coligação “Juntos pelo Desenvolvimento pela Paz e pela Vida”, tem como aliados o DEM, PSDB, e o Solidariedade. Tem como vice Wagner Gomes (SD).

Lucas Barreto declarou que irá gastar R$ 3 milhões, a mesma quantidade usada em 2010.

 

Waldez Góes (PDT)

Waldez Góes (PDT) gastos podem chegar a R$ 4,9 milhões

Waldez Góes (PDT) gastos podem chegar a R$ 4,9 milhões

Antônio Waldez Góes da Silva é ex-governador do Amapá. Nasceu no município de Gurupá, no Pará. Iniciou a vida política em 1994, quando foi eleito ao cargo de deputado estadual. Concorreu à Prefeitura de Macapá em 1996 e ao Governo do Estado em 1998, mas perdeu no segundo turno para João Capiberibe (PSB). Foi eleito governador em 2002, e reeleito em 2006. Aos 52 anos, é casado com a deputada estadual Marilia Góes. Filiado ao PDT que encabeça a coligação “Força do Povo”, com PP e PMDB. Tem como candidato a vice-governador o médico e ex-prefeito de Macapá, Papaléo Paes (PP).

O ex-governador Waldez Góes informou ao TRE que prevê gastar na campanha R$ 4,9 milhões. 

Compartilhamentos