Compartilhamentos

Após protocolar no Ministério Público Federal (MPF) uma representação cobrando a finalização das obras da BR-156 na tarde desta segunda-feira, 7, o Senador Randolfe Rodrigues (Psol) disse que os problemas com as aldeias indígenas, que impedem o prosseguimento dos trabalhos, não são mais desculpas para o retardamento da pavimentação. Ele reiterou que o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes no Amapá (Dnit) e a Secretaria Estadual de Transportes (Setrap) precisam ser chamados em juízo para explicar o atraso.

Segundo o senador, o impasse com as aldeias indígenas atrapalha apenas 50 quilômetros de obras na estrada. “Ao todo são cerca de 150 quilômetros esperando pelas obras de pavimentação. 100 quilômetros já estão liberados pelos índios, mas não têm obras em andamento. Por quê?”, questionou o Senador.

Senador Randolfe Rodrigues

Senador Randolfe Rodrigues: acordos entre França e Brasil poderão ser prejudicados 

Para Randolfe, é preciso que os órgãos fiscalizadores façam uma cobrança mais contundente para que a obra, que existe há quase 70 anos, realmente seja finalizada e cumpra o seu papel principal, que é a interligação do Amapá com a Guiana Francesa e o extremo norte da América Latina.

Se a estrada não for concluída, os acordos econômicos entre os países ficarão prejudicados. “Tirando a finalização da ponte que liga o Brasil à França, não existem outros atrativos para que os franceses venham consumir nossos produtos ou possam exportar produtos para o Amapá. Isso porque a BR, que deveria interligar Macapá à Caiena, não está concluída. Não há a mínima condição de se estabelecer um mercado de venda e consumo por conta das condições de escoamento”, acrescentou Randolfe.

Por conta do atraso nas obras da BR, todo período de chuvas o município de Oiapoque fica praticamente isolado. Este ano não foi diferente, teve escassez de produtos alimentícios. O combustível não chegava para abastecer o sistema isolado que fornece energia elétrica, e com isso os moradores ficaram vários dias às escuras.

Atoleiro na BR-156, que está em obras há quase 70 anos

Atoleiro na BR-156, que está em obras há quase 70 anos

Por conta desse problema, na manhã desta terça-feira, 8, os gestores do Dnit e da Setrap terão que comparecer ao Ministério Público Federal para prestar esclarecimentos sobre as obras, que devem ser retomadas com o início do verão.

 

Compartilhamentos