Compartilhamentos

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) tem um orçamento de R$ 4,4 milhões para realizar as eleições no Amapá. O dinheiro será usado na logística de atendimento em todas as zonas eleitorais. O processo começou com o registro de candidatura e só termina com o retorno das urnas ao TRE, após as eleições. Vale ressaltar que este ano os quase 450 mil eleitores do Estado vão utilizar o processo de biometria para votar.

Dentro desse orçamento o TRE terá que providenciar, por exemplo, o transporte de eleitores e das urnas que devem chegar a todos os 16 municípios. “Vamos alugar veículos que vão ser utilizados nessa logística, principalmente para o transporte de eleitores”, comentou a diretora regional do TRE/AP, Odete Scalco, ressaltando que assim o Tribunal quer evitar o transporte irregular de eleitores, um crime eleitoral comum cometido pelos candidatos.

Diretora Regional do TRE/AP, Odete Scalco

Diretora Regional do TRE/AP, Odete Scalco

Scalco afirmou que para o transporte de eleitores serão usados ônibus, vans e embarcações para atender quem mora em regiões ribeirinhas e não têm como chegar às seções eleitorais. Essa logística ao eleitor é uma competência da Justiça Eleitoral em todo o Brasil.

Além dessa demanda, haverá o apoio aos mesários, que no Amapá serão 7 mil. Eles serão treinados para auxiliar as pessoas na primeira eleição 100% biométrica do Estado. “A maioria dos mesários já trabalha com a gente, porém para 2014 todos devem receber um treinamento baseado na biometria. As urnas são diferentes e não há mais a assinatura do eleitor, que comprovará a presença através das digitais”, explicou Scalco.

Os recursos também serão utilizados na área de segurança. Estarão trabalhando cerca de 800 homens do Exército, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e Polícia Federal. Além da Força Nacional de Segurança, que será destacada para os municípios de Oiapoque e Amapá. Nesses municípios os militares vão ajudar na proteção e transporte das urnas eletrônicas e outros materiais necessários aos mesários que vão trabalhar em áreas de difícil acesso.

Dentro do orçamento do TRE também estão incluídas as atividades da Comissão de Fiscalização, que tem como atribuição constatar os crimes eleitorais e denunciá-los ao Ministério Público Eleitoral, que por sua vez investigará cada denúncia repassada pelos fiscais. Haverá gasto também com a contratação de empresas que fazem o acompanhamento em tempo real da apuração dos votos.

Compartilhamentos