Compartilhamentos

Ainda está em Macapá o menino que veio do Caribe com suspeita de ter contraído o vírus Chikungunya. É o primeiro caso suspeito da doença em Macapá, que é transmitida pelo mosquito Aedes Aegypti, o mesmo que transmite a dengue. 20 casos da doença já foram confirmadas no Brasil, mas segundo o Ministério da Saúde todos vieram de fora do país.

O menino de 13 anos veio de Guadalupe passar férias em Macapá e chegou aqui com dores de cabeça e febre, sintomas da doença. A suspeita ficou ainda maior quando a Vigilância Epidemiológica do estado descobriu que os pais do garoto já haviam sido vítimas da doença.

O resultado dos exames feitos na criança só devem chegar ao Amapá na semana que vem, já que no estado não existe laboratório preparado para isso. Iracilda Pinto, chefe da Coordenadoria de Vigilância em Saúde, que acompanha o caso, confirmou que as casas próximas onde o menino ficou foram monitoradas para a verificação de possíveis focos do mosquito que transmite a doença. Iracilda explicou que o combate a Chikungunya é difícil porque ela pode ficar incubada até 14 dias, e assim o mosquito tem tempo para espalhar a doença.

A principal diferença entre a chikungunya a dengue, é que a primeira causa dores intensas nas articulações, daí o seu nome significar na língua africana “aquele que se dobra”. Ainda casos de mortes causadas pela chikungunya.

Compartilhamentos