Compartilhamentos

A relação entre o PT e o PSB está por um fio. Depois que alguns setores ameaçaram desertar da campanha da candidata ao Senado, Dora Nascimento, o comando do partido que governa o Estado também decidiu colocar na “geladeira” a candidata à deputada federal Professora Marcivânia, de Santana. Marcivânia acusa o PSB de boicote ao não permitir a veiculação de seu programa eleitoral na televisão. O caso deve parar nas barras na Justiça ainda nesta sexta-feira, 22.

Marcivânia alega que no dia 19 de agosto, por volta das 22h45min, entregou ao diretório estadual do PT a mídia com o programa eleitoral que deveria ter sido veiculado na última quinta-feira, 2 em rádio e teçevisão. O programa não foi ao ar, e nenhuma justificativa foi apresentada à candidata.

Depois de muita insistência, representantes de Marcivânia conseguiram entregar ao PSB um pedido formal de explicações que ainda não foi respondido. Marcivânia foi para as redes sociais acusar o PSB de veto. “Nosso programa eleitoral que ia ao ar no dia de hoje, foi vetado pela coligação, coordenada pelo PSB.

Essa é mais uma tentativa de prejudicar a nossa candidatura, como outras que foram inventadas e impediram que a vontade do povo se concretizasse”, resumiu ela.

As relações entre o grupo de Marcivânia e o PSB começaram a ruir ainda em 2011, quando Janete Capiberibe não pôde assumir como deputada federal barrada durante a discussão da Lei da Ficha Limpa. Marcivânia, que teve mais de 19 mil votos, assumiu o mandato na Câmara dos Deputados durante quase 1 ano.

Durante esse período, o PSB foi reduzindo aos poucos a participação do PT de Santana no governo do Estado, iniciando uma guerra de nervos nos bastidores das duas legendas. Quando o Supremo Tribunal Federal decidiu que a Lei da Ficha Limpa só valeria para as eleições de 2014, Janete pôde assumir, mas a relação já estava mais que estremecida. “Gostaria de esclarecer que todas as medidas estão sendo tomadas para reparar mais essa flagrante tentativa de barrar a vontade do povo”, comentou a deputada em seu perfil no Facebook. “Nada disso nos intimidará e não vamos AMARELAR em nossas decisões e vamos manter a nossa coerência”, comentou.

Ninguém no PSB foi encontrado para comentar o assunto. Depois de tentar resolver o assunto com diálogo, os advogados de Marcivânia decidiram protocolar no início da tarde desta sexta-feira, 22, uma ação no Tribunal Regional Eleitoral reivindicando o direito de exibição do programa eleitoral.

Compartilhamentos