Compartilhamentos

A Delegacia de Crimes Contra a Mulher (DCCM) investiga a ligação entre sete casos de estupros envolvendo mototaxistas clandestinos em Macapá. No último caso, uma mulher foi mantida como refém durante um dia, em uma casa às margens da Rodovia Norte-Sul, sendo agredida e abusada sexualmente por dois homens.

A delegada Vilani Feitosa (foto de capa), titular da DCCM, investiga se os sete casos têm alguma ligação, já que todos envolvem motoqueiros clandestinos. “Não podemos afirmar nada. Só conseguimos colher dois depoimentos de vítimas até o momento, mas um bigode usado pelo infrator, foi uma das características em comum entre os agressores desses dois casos”, contou.

Um dos problemas encontrados nas investigações é o fato de as vítimas ainda estarem em estado de choque, o que vem impedido os depoimentos. “Nesse último caso, por exemplo, a vítima ainda está no Hospital de Emergência recebendo atendimento médico e psicológico. Somente quando conseguirmos colher todos os depoimentos poderemos dar informações mais concretas sobre a investigação”, explicou a delegada.

Outro problema será a identificação. Em todos os casos o infrator usava um capacete com película que impedia o reconhecimento do rosto. Mas, outras características serão averiguadas para saber se há semelhanças entre os casos.

Compartilhamentos