Compartilhamentos

A Procuradoria Regional Eleitoral no Amapá (PRE/AP) instaurou 11 procedimentos de investigação de crimes eleitorais no Amapá. Os casos foram denunciados pelo aplicativo Whatsapp, mais uma forma de se realizar denúncia sobre ações ilícitas de candidatos. Parte das investigações é baseada em denúncias de compra de votos.

Segundo a Procuradoria Eleitoral, dos 11 procedimentos instaurados, seis investigam propaganda irregular, dois são sobre captação ilícita de sufrágio (compra de votos). Os demais se referem a pesquisa eleitoral sem registro e condutas vedadas pela Lei Eleitoral. “Diversas denúncias são encaminhadas em duplicidade e, em outros casos, não configuram ilícito eleitoral, por isso nem toda denúncia gera a instauração de procedimento”, explica o procurador regional eleitoral, Paulo Santiago.

Os casos que estão sendo investigados fazem parte de cerca de 200 denúncias que já foram feitas pelo Whatsapp através do número (96) 8414 0300, que recebeu fotos, vídeos e áudios de ações ilícitas praticadas por candidatos. Três dos casos são baseados em fotos (prints) de conversas tidas no aplicativo.

Além da denúncia via Whatsapp a população também pode denunciar através da ouvidoria contida no site cidadao.mpf.mp.br ou de forma presencial no prédio da Procuradoria da República no Amapá, à Rua Jovino Dinoá, 468, Jesus de Nazaré. 

Compartilhamentos