Compartilhamentos

As estatísticas comprovam que o trânsito continua matando muito no Amapá. Até hoje, 22 pessoas perderam a vida este ano. Em média, oito vítimas são atendidas diariamente pelo Corpo de Bombeiros. A preocupação maior da Companhia de Transporte Municipal de Macapá (CTMac) é que a maioria das pessoas envolvidas em acidentes esta alcoolizada não tem habilitação e é menor de idade.

No ano passado foram registrados 3.948 acidentes de trânsito no Estado. Desse total, 37 pessoas morreram. Em 2014, já são 2.039 acidentes para 22 óbitos. Os motoqueiros são os maiores causadores e vítimas também. Segundo dados da CTMac, para cada 10 acidentes de trânsito, sete tem motocicletas como causadoras ou vítimas. “O abuso de velocidade é o principal motivo dos acidentes. Para se ter uma ideia, numa pista de 60 km por hora, os motoristas trafegam à 90 por hora. Há 90% de chance de um acidente ter vítima fatal ou sequelas graves”, explicou a diretora-presidente da CTMac, Cristina Badinni.

Cristina Badinni; abuso da velocidade

Cristina Badinni, presidente da Ctmac: abuso da velocidade

De acordo com o Batalhão de Policiamento do Trânsito (BPTRAN), as blitz comprovam três fatos: 20% dos condutores não tem carteira de habilitação e são menores de idade, e 15% dirigem sob efeito de álcool. Mas, os dados não são apenas negativos. Houve uma redução de acidentes. Até julho de 2013, ocorreram no Amapá 336 acidentes. Neste ano foram registrados 280. Segundo o tenente-coronel Jones Miguel, comandante do batalhão, a redução se deve às campanhas de conscientização e a melhora na sinalização. “A queda no número de mortes é resultado de muito trabalho. Hoje, por exemplo, o cidadão já observa melhor quando vai atravessar a rua. Só isso já ajuda a reduzir o número de vítimas nas ruas”, enfatiza Jones.

Compartilhamentos