Compartilhamentos

Na última sexta-feira, 26, a Justiça concedeu ao acusado de duplo homicídio, Ramon Cleiton Ribeiro, de 25 anos, um habeas corpus para responder ao processo em liberdade. O rapaz é acusado de matar a ex-mulher, Estefani da Rocha Gomes, de 24 anos, com mais de 10 facadas no dia 25 de agosto.

Na ocasião, Ramon matou também um amigo da ex-mulher que estaria dando uma carona pra ela na noite do crime. O delegado que investigou o caso e efetuou a prisão do acusado, quatro dias depois em uma casa no Zerão, informou que não entende o motivo da liberdade condicional. “Não podemos dizer muito sobre que motivos levaram o juiz a por em liberdade o Ramon, mas a Polícia Civil fez a sua parte, concluindo a investigação em tempo hábil. Hoje toda e qualquer decisão sobre o caso cabe à Justiça que irá analisar todos os depoimento e verificar se o acusado representa ou não perigo a sociedade”, disse o delegado Renato Gerep.

No momento da prisão e durante os depoimentos, os familiares de Estefani informaram que estavam recebendo ameaças de Ramon. Ele já teria ligado para a mãe da vítima informando que tudo o que tinha ocorrido era culpa dela e que se ele ficasse livre seria a próxima a morrer. Agora o delegado espera que o Ministério Público peça novamente a prisão preventiva. “Nós aguardamos que o MP tome essa iniciativa, pois no inquérito que fizemos deixamos claro que Ramon não tem condições psicológicas para viver em sociedade. Mas cabe à Justiça mantê-lo preso ou não”, concluiu o delegado.

Compartilhamentos