Compartilhamentos

Três servidores da Subprefeitura da Zona Norte de Macapá foram levados para prestar depoimento na sede da Polícia Federal no fim da manhã desta segunda-feira, 29. Os policiais receberam denúncia de que a subprefeitura estava cadastrando famílias em programas sociais com fins eleitoreiros.

Os servidores foram conduzidos coercitivamente para prestar esclarecimentos acompanhados de procuradores do município. Desde a semana passada, a Prefeitura de Macapá está cadastrando famílias para o Programa Minha Casa,Minha Vida, do governo federal. No primeiro dia de inscrições, na quinta-feira, 25, mais de 500 famílias se cadastraram. “Esse trabalho não pode parar, mesmo no período eleitora”, defendeu a secretária de Mobilização e Assistência Social, Eliane Gonçalves.

Todos os nomes estão sendo registrados no Cadastro Único da prefeitura, onde estão incluídos beneficiários de outros programas sociais gerenciados pelo município. Para receber benefício de qualquer programa, é preciso antes estar no Cadastro Único. “Estamos nos organizando para abrir 1 mil vagas no Pronatec. Esse programa e o Minha Casa estão levando muitas pessoas a procurar atendimento na subprefeitura, além dos próprios beneficiários do Programa Bolsa Família, que  atende 33 mil famílias na capital”, explicou Eliane Gonçalves.

A Polícia Federal não emitiu nenhuma nota oficial a respeito do assunto. A PF ganhou o reforço de 40 agentes, delegados e escrivãs que chegaram em um avião Foker 100 no último sábado, 27. Eles vieram reforçar a fiscalização no pleito eleitoral.  

Compartilhamentos