Compartilhamentos

A Procuradoria Regional Eleitoral denunciou à Justiça na quarta-feira, 10, cinco pessoas por usarem a hierarquia do Corpo de Bombeiro Militar (CBM) para forçar seus subordinados a comparecerem a convenção partidária realizada no dia 21 de junho pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB).

Entre os denunciados estão o ex-comandante geral do CBM Marcelo Corrêa, o Coronel Enéas Rosa, o governador e candidato a reeleição Camilo Capiberibe, o candidato a vice Rinaldo Martins e o próprio partido que realizava a convenção. Segundo a PRE/AP a ação afeta “a necessária isonomia que se deve preservar entre os candidatos nas eleições”.

A Procuradoria informou que o Coronel Enéas Rosa disse em depoimento, que apenas fez o que foi repassado pelo seu superior, comandante Marcelo Corrêa. Caso o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) aceite a denúncia o candidato pode ter o registro ou diploma suspenso, além de uma multa que pode ultrapassar R$ 100 mil.

CONVOCATÓRIA:

Nota assinada pelo coronel Enéas Castro era para ser um convite

Nota de esclarecimento enviada pleo Coronel Enéas Castro, um dia após ter assinado a convocação

O documento foi fotografado e repercutiu nas redes sociais. Militares que não quiseram se identificar disseram na época que estavam sendo obrigados a participar da convenção do partido. A convocatória, assinada pelo Diretor do Centro de Saúde, Coronel Enéas Rosa, estava exposto no setor saúde dos bombeiros, uma das áreas mais movimentadas da corporação.

No dia da convenção, 21 de junho, a assessoria de comunicação do CBM informou que o aviso era verdadeiro, mas que se tratou de uma iniciativa isolada do coronel Enéas.

 

Compartilhamentos