Compartilhamentos

Dos sete candidatos ao governo do Amapá nas eleições deste ano, apenas Jorge Amanajás (PPS) não apresentou a segunda prestação de contas dentro do prazo, que encerrou no dia 2 deste mês. De acordo com as informações apresentadas ao TRE, Waldez Góes (PDT) gastou na campanha até agora R$ 1,5 milhão, aparecendo como o que mais investiu na campanha. Ressaltando que Waldez arrecadou R$ 548 mil.

Por um erro de digitação quem aparece com o segundo maior gasto é Décio Gomes (PCB). Ele apresentou documentos mostrando que já gastou pouco mais de R$ 1 milhão, sendo que quase a totalidade desse valor ele teria gasto com combustível. O partido de Décio ficou de encaminhar retificação ao TRE, informando que na verdade foram gastos R$ 999,99 com combustível e não R$ 999.997,00 como estava registrado na planilha.

Os outros quatro candidatos que apresentaram a segunda parcial da prestação contas foram: Camilo Capiberibe (PSB), candidato à reeleição, gastou R$ 124 mil e arrecadou em doações R$ 184 mil. Lucas Barreto (PSD) arrecadou R$ 123,9 mil e gastou R$ 140 mil. Bruno Mineiro (PTdoB) gastou R$ 97,7 mil dos R$ 100 mil que recebeu em doações. Genival Cruz (PSTU) foi o que menos gastou: R$ 5 mil, o mesmo valor que arrecadou.

Essa foi a última prestação de contas parcial. Agora os candidatos só deverão fazer a entrega das contas finais no prazo de 30 dias após o 1º turno das eleições.

Compartilhamentos